DSpace
Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DQI - Departamento de Química >
DQI - Programa de Pós-graduação >
DQI - Agroquímica - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1712

Título: Composição química, eficácia e toxicidade de plantas medicinais utilizadas no tratamento da obesidade
Autor(es): Simão, Anderson Assaid
Orientador: Corrêa, Angelita Duarte
Membro da banca: Cardoso, Maria das Graças
Murgas, Luís David Solis
Preté, Paulo Sérgio Castilho
Rocha, Denise Alvarenga
Área de concentração: Agroquímica
Assunto: Obesidade
Planta medicinal
Antioxidante
Enzima digestiva
Toxicidade
Fitoterápico
Obesity
Medicinal plant
Antioxidant
Digestive enzyme
Toxicity
Phytotherapic
Data de Defesa: 4-Set-2013
Data de publicação: 2014
Agência de Fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: SIMÃO, A. A. Composição química, eficácia e toxicidade de plantas medicinais utilizadas no tratamento da obesidade. 2014. 182 p. Tese (Doutorado em Agroquímica) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
Resumo: A prevalência de obesidade tem aumentado, em taxas alarmantes, em todo o mundo, e vem se tornando o maior problema de saúde na sociedade moderna, evidenciando a necessidade de adjuvantes para auxiliar em seu tratamento. As plantas medicinais são ricas fontes de compostos bioativos com potencial de utilização terapêutica, podendo estes ser uma alternativa viável para o desenvolvimento de medicamentos eficazes e seguros para auxiliar no tratamento da obesidade. O objetivo neste estudo foi avaliar a utilização das plantas medicinais Aloe vera (L.) Burm., Simaba ferruginea St. Hil., Baccharis trimera (Less.) DC, Garcinia cambogia Desr. e Tournefortia paniculata Cham. e do fitoterápico Moder diet elaborado com a combinação destas plantas, na forma de simulado, no tratamento da obesidade. Foi determinada a composição química das referidas plantas, ensaios de inibição de enzimas digestivas, avaliação do potencial antioxidante e ensaio in vivo com a planta que mostrou maior presença de fitoquímicos com propriedades farmacológicas, visando sua caracterização terapêutica (potencial para prevenção e tratamento da obesidade) e toxicológica. Os resultados indicaram a presença de substâncias de interesse farmacológico, como os compostos fenólicos, saponinas e fibras alimentares, em todas as plantas, e o cálcio, na G. cambogia e S. ferruginea. Foi observada inibição das enzimas α-amilase (T. paniculata) e α-glicosidase (T. paniculata, A. vera e B. trimera) após simulação de fluído gástrico; e potencial antioxidante, in vitro, em todas as plantas, com a T. paniculata apresentando os mais altos teores de compostos fenólicos e vitamina C. O fitoterápico simulado não causou inibição das enzimas digestivas e mostrou baixa atividade antioxidante. Diante desses resultados, a T. paniculata foi escolhida para realização do ensaio biológico, sendo administrada por gavagem na forma de farinha e extrato aquoso, a ratos Wistar, submetidos à dieta hipercalórica, durante 42 dias, para avaliação dos parâmetros: peso corporal, consumo alimentar, glicemia, lipídios, peroxidação lipídica e toxicidade (genotoxicidade e histologia). A farinha e o extrato aquoso das folhas de T. paniculata foram eficazes na redução da gordura hepática, glicose e triacilgliceróis séricos e não apresentaram potencial genotóxico, nas condições avaliadas. O extrato aquoso reduziu o consumo alimentar e a peroxidação lipídica. Conclui-se que as plantas estudadas mostram grande diversidade de fitoquímicos com potenciais para serem utilizadas em preparações farmacológicas com possíveis benefícios a saúde. Entre as plantas, a T. paniculata apresenta os mais elevados teores de fitoquímicos (compostos fenólicos, saponinas e vitamina C), efeito inibidor sobre as enzimas α-amilase e α-glicosidase e atividade antioxidante, em ensaios in vitro. Os resultados do ensaio biológico sugerem as folhas de T. paniculata como alternativa terapêutica no tratamento da obesidade.
The prevalence of obesity has increased worldwide at alarming rates, and has become a major health problem in modern society, highlighting the need for adjuvants to aid in its treatment. Medicinal plants are rich sources of bioactive compounds with potential therapeutic use, and may be a viable alternative for the development of safe and effective drugs to aid in the treatment of obesity. The objective of this study was to evaluate the use of the medicinal plants Aloe vera (L.) Burm., Simaba ferruginea St. Hil., Baccharis trimera (Less.) DC, Garcinia cambogia Desr. and Tournefortia paniculata Cham., as well as of the phytotherapic Moder diet, prepared from the combination of these plants for the treatment of obesity, performing the chemical characterization of the constituents of the plants, as well as inhibition assays of digestive enzymes, evaluation of the antioxidant potential and the bioassay with the plant that shows the highest amount of phytochemicals with pharmacological properties, in order to perform their therapeutic (in the prevention and treatment of obesity) and toxicological characteristics. The results indicated the presence of substances of pharmacological interest, especially phenolic compounds, saponinas, dietary fiber in all plants; and calcium in G. cambogia and S. ferruginea. Enzymatic inhibition was detected for α-amylase (T. paniculata) and α-glucosidase (T. paniculata, A. vera and B. trimera) after simulation of gastric fluid; and in vitro antioxidant potential in all plants, with emphasis on T. paniculata, which presented the highest levels of phenolic compounds and vitamin C. The simulated phytotherapic caused no inhibition of digestive enzymes and showed a low antioxidant activity. Given these results, T. paniculata was chosen for the bioassay, and was administered by gavage in the form of flour and water extract to Wistar rats subjected to a high calorie diet for 42 days, for the evaluation of the following parameters: body weight, food intake, glycemia, lipids, lipid peroxidation and toxicity (genotoxicity and histology). The flour and the aqueous extract of T. paniculata leaves were effective in reducing liver fat, glucose, triacylglycerols, and showed no genotoxic potential, in the evaluated conditions. The aqueous extract reduced food intake and lipid peroxidation. It was possible to conclude that the studied plants show a great diversity of phytochemicals with potential to be used in pharmaceutical preparations with possible health benefits. Among the plants, T. paniculata presents the highest contents of phytochemicals (phenolic compounds, saponins and vitamin C), inhibition on the enzymes α-amylase and α-glucosidase and antioxidant activity, in in vitro assays. The results of the bioassay suggest that T. paniculata leaves may be a therapeutic alternative in the treatment of obesity.
Informações adicionais: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agroquímica, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1712
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DQI - Agroquímica - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Composição química, eficácia e toxicidade de plantas medicinais utilizadas no tratamento da obesidade.pdf1,23 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback