DSpace
Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DFP - Departamento de Fitopatologia >
DFP - Programa de Pós-graduação >
DFP - Agronomia/Fitopatologia - Doutorado (Teses) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1745

Título: Mofo-branco em algodão, girassol e feijão: potencial de transmissão e efeitos na qualidade de sementes e variabilidade do patógeno
Título Alternativo: White mold on cotton, sunflower and bean: potential transmission and effects in the seeds quality and variability of pathogen
Autor(es): Zancan, Willian Luis Antonio
Orientador: Machado, José da Cruz
Membro da banca: Resende, Mario Lúcio Vilela
Pfenning, Ludwig Heinrich
Souza, Elaine Aparecida de
Paula Júnior, Trazilbo José de
Área de concentração: Fitopatologia
Assunto: Sclerotinia sclerotiorum
Semente
PCR convencional
Microssatélite
Algodão – Mofo-branco
Girassol – Mofo-branco
Feijão – Mofo-branco
Efeito
Transmissão
Variabilidade
Resistência
Effect
Transmission
Seeds
Variability
Resistence
Data de Defesa: 22-Nov-2013
Data de publicação: 2014
Agência de Fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: ZANCAN, W. L. A. Mofo-branco em algodão, girassol e feijão: potencial de transmissão e efeitos na qualidade de sementes e variabilidade do patógeno. 2013. 125 p. Tese (Doutorado em Agronomia/Fitopatologia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014
Resumo: Sclerotinia sclerotiorum é um patógeno causador de doenças em várias espécies vegetais economicamente importantes em todo o mundo. A infecção das plantas pode ocorrer através do micélio e/ou de ascósporos produzidos pela germinação dos escleródios, ou a partir de micélio associado às sementes. Estes tipos de inóculo são responsáveis pela disseminação da doença a curtas e a longas distâncias, em áreas isentas do referido fungo. Neste trabalho, os objetivos foram avaliar os efeitos, transmissão potential e detecção molecular, via PCR, de S. sclerotiorum a partir de sua interação com sementes de algodoeiro e girassol, e a variabilidade entre isolados deste fungo coletados em campos de feijoeiro. Em relação aos efeitos e à transmissão do fungo, foram utilizados quatro potenciais de inóculo, duas cultivares (algodoeiro e girassol) e duas temperaturas (20 e 25 °C). As variáveis analisadas foram: germinação, sanidade de sementes, índice de velocidade de emergência, estande inicial e final. Quanto à variabilidade, 25 isolados de S. sclerotiorum coletados em campos de feijoeiro foram caracterizados por meio de marcadores microssatélites, grupos de compatibilidade micelial (GCMs), agressividade e sensibilidade a fungicida. Pelos resultados, houve correlação entre o nível do potencial de inóculo e as variáveis analisadas, independente da cultivar, do isolado fúngico e da temperatura. A maior taxa potencial de transmissão de S. sclerotiorum em sementes para plantas foi observada no maior potencial de inóculo (96 horas de contato das sementes com o fungo), atingindo níveis médios de 72% em girassol e 80,2% em algodoeiro. A detecção do fungo em sementes destas duas espécies pela técnica de PCR mostrou-se viável para esta finalidade, devendo ser ainda aferida para uso oficial. Dados de microssatélites agruparam os 25 isolados em quatro clusters e sete GCMs. Quanto à agressividade dentro e entre GCMs, houve diferenças significativas entre os isolados. O isolado mais agressivo na seleção para resistência será útil na identificação de maiores niveis de resistência em linhagens de feijão. Iprodiona inibiu o crescimento micelial de S. sclerotiorum na concentração utilizada em campo de cultivo, enquanto piraclostrobina e metconazol permitiram o crescimento do fungo in vitro. Estes resultados demonstram a importância do inóculo micelial de S. sclerotiorum, tanto na disseminação do patógeno quanto como agente causador de danos nas espécies hospedeiras em condições de cultivo.
Abstract: Sclerotinia sclerotiorum is a pathogen causing disease in several economically important plant species worldwide. The infection of plants may occur through the mycelium or ascospores produced by the germination of sclerotia or mycelia associated with seed. These types of inoculum are responsible for the spread of the fungus to short and long distances. In this work, the objectives were to evaluate the effects and potential transmission and molecular detection through conventional PCR of S. sclerotiorum on cotton and sunflower seeds and variability among isolates collected in bean fields. Regarding the effects and transmission of the fungus four inoculums potentials, two cultivars of each, cotton and sunflower and two temperatures (20 and 25 °C) were used in this research. The variables analyzed were: germination, seed health, emergence rate index, initial and final stands. In relation to variability, 25 isolates of S. sclerotiorum collected in bean fields were characterized by microsatellite markers, mycelial compatibility groups (MCGs), aggressiveness and sensitivity to fungicides. From the results, there was a correlation between the level of inoculum potential and the variables analyzed, regardless of cultivar, fungal isolate and temperature. The highest potential for transmission of S. Sclerotiorum on seeds to plants was observed at the highest potential inoculum (96 hours of fungus covering seeds) reaching mean levels of 72% and 80.2% in sunflower and cotton, respectively. The detection of the fungus on seeds of both species by conventional PCR was shown to be viable and should be further evaluated for official use in certification programs. Microsatellite data grouped the 25 isolates into four clusters and seven GCMs. As for aggressiveness within and among GCMs were no significant differences among the isolates. The most aggressive isolates in resistance screening will be helpful in the identification of higher levels of resistance in bean germplasm/lines. Iprodione inhibited the mycelial growth of S. Sclerotorum at the concentration used in the field, whereas pyraclostrobin and metconazole allowed the growth of the fungus in vitro. These results demonstrate the importance of the mycelial inoculum of S. sclerotiorum both the spread of the pathogen as the causal agent of damage to the host species in cultivation condition.
Informações adicionais: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitopatologia, área de concentração em Fitopatologia, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1745
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DFP - Agronomia/Fitopatologia - Doutorado (Teses)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
TESE_Mofo-branco em algodão, girassol e feijão: potencial de transmissão e efeitos na qualidade de sementes e variabilidade do patógeno.pdf1,07 MBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback