Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1908
Título: Níveis de fósforo disponível e cálcio em rações suplementadas com fitase para frangos de corte na fase de oito a 35 dias de idade
Título(s) alternativo(s): Calcium and available phosphorus levels in diets with phytase to broilers of eight to 35 days of age
Autor : Cardoso Júnior, Adimar
Primeiro orientador: Rodrigues, Paulo Borges
Primeiro membro da banca: Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
Bertechini, Antônio Gilberto
Lima, Renato Ribeiro de
Palavras-chave: Minerals
Nutritional requirement
Enzyme
Minerais
Exigência nutricional
Enzima
Data da publicação: 31-Jul-2014
Referência: CARDOSO JÚNIOR, A.. Níveis de fósforo disponível e cálcio em rações com fitase para frangos de corte de oito a 35 dias de idade. 2008. 56 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
Resumo: O interesse pelo estudo do fósforo na nutrição animal deve-se à sua essencialidade no metabolismo e ao seu alto preço no mercado, o que contribui para elevar os custos finais das rações. Além do fósforo, o cálcio é de suma importância no metabolismo animal, principalmente na formação óssea. Cálcio e fósforo interagem, de forma que o excesso ou a diminuição de um pode afetar a utilização do outro pelo animal. Dessa forma, foram conduzidos dois experimentos, utilizando pintos de corte da linhagem COBB, no período de 8 a 35 dias de idade, para avaliar o efeito da redução dos níveis de cálcio e fósforo disponível (Pdisp), em rações suplementadas com 500 FTU da enzima fitase/kg (Ronozyme P5000®) sobre desempenho, teor de cinzas na tíbia, energia metabolizável (EMAn), digestibilidade da matéria seca (CMDS) e da proteína bruta (CMAPB). Foram utilizados 1.404 pintos de corte, em quatro repetições de 27 aves cada (experimento 1 - desempenho) para a avaliação de consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar e percentagem de cinzas na tíbia. No experimento dois, conduzido simultaneamente ao de desempenho, um total de 390 aves foram transferidas para uma sala de metabolismo, para a determinação da EMAn e dos CDMS e CMAPB, em seis repetições de cinco aves cada. Nos experimentos, foi utilizado um delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3 x 4 + 1 e os tratamentos foram constituídos de três níveis de Pdisp (0,375%, 0,325% e 0,275%) e quatro níveis de cálcio (0,85%, 0,75%, 0,65% e 0,55%), em que as rações foram suplementadas com a fitase, mais uma ração controle, sem fitase, a base de milho e farelo de soja, formulada com 0,425% de Pdisp e 0,85% de Ca e demais níveis nutricionais recomendados pelas tabelas brasileiras. No experimento 1, não foi observada diferença significativa (P>0,05) em nenhuma das características de desempenho avaliadas e na porcentagem de cinzas ósseas, quando comparadas às aves que receberam o tratamento controle. Não houve interação (P>0,05) dos níveis de Pdisp e de cálcio sobre o desempenho e a percentagem de cinzas ósseas. Em relação ao desempenho, é possível a redução dos níveis de cálcio e Pdisp para os menores níveis estudados, 0,55% e 0,275%, respectivamente. Porém, tal redução afeta a mineralização óssea. Portanto, os níveis mais adequados para atender ao desempenho e à mineralização óssea são de 0,65% e 0,325% de cálcio e Pdisp, respectivamente. O segundo experimento seguiu os resultados encontrados em relação à mineralização óssea no experimento 1, em que os níveis de cálcio e Pdisp podem ser reduzidos a até 0,65% e 0,325%, respectivamente, ainda apresentando semelhanças quando comparados ao tratamento controle. Houve diferença significativa (P<0,05) entre os níveis isolados de cálcio e Pdisp para o CDMS, e interação dos níveis de cálcio e Pdisp das rações para EMAn e CMAPB. Conclui-se que, para essa fase de criação, quando utilizado 500 FTU de fitase/kg de ração, os níveis de cálcio e Pdisp da ração podem ser reduzidos para 0,65 e 0,325%, respectivamente, sem afetar o desempenho e a porcentagem de cinzas ósseas, apresentando bons resultados para a EMAn, o CDMS e o CMAPB.
The concern by the study of phosphorus in animal nutrition is due to its essentiality in the metabolism and its high market price, which contributes to raise the final cost of diets. Apart from phosphorus, calcium is of great importance in animal metabolism, mainly in the bone formation. Calcium and phosphorus interact, so that the excess or decrease of one of them can affect the use of other by animal. Thereby, it was carried two assays using eight to 35 days old COOB chicken, out to evaluate the effect of reduced calcium and available phosphorus (aP) levels in diets supplemented with 500 FTU of the phytase enzyme/kg (Ronozyme® P5000) on the performance, bone ash, metabolizable energy (AMEn) dry matter (DMDC) and crude protein (ACPDC) digestibility coefficients. In the experiment 1, 1404 broiler chickens were used in four replications of 27 birds each to evaluate the feed intake, weight gain, feed conversion and bone ash percentage. Simultaneously at the performance assay, a total of 390 birds were transfered to a metabolism room (experiment 2) for determining the AMEn, DMDC and ACPDC in six replications of five birds each. An experimental design completely randomized was used, in a factorial schedule 3 x 4 + 1, and the treatments used were three aP levels (0.375; 0.325 e 0.275%) and four calcium levels (0.85; 0.75; 0.65 e 0.55%), in which the diets were supplemented with phytase, plus a control diet, without phytase, based on corn and soybean meal, formulated with 0.425% of AP and 0.85% of calcium and others nutritional levels according to brazilian tables. In experiment 1 was not observed significant difference (P>0.05) in the broiler performance characteristics and percentage of bone ash, when compared to birds that received the control diet. There was no interaction (P>0,05) levels of calcium and aP on performance and percentage of bone ash. Regarding the performance is possible to reduce the levels of calcium and Pdisp to lower levels studied, 0.55 and 0.275%, respectively, but this reduction affects the bone mineralization. Therefore, the most appropriate to meet the performance and bone mineralization are 0.65 and 0.325% calcium and Pdisp respectively.The second experiment, follows the findings regarding bone mineralization in experiment 1, where the levels of calcium and Pdisp can be reduced by 0.65 and 0.325%, respectively, still showing similarities when compared to control treatment. In the second experiment the levels could be reduced by 0.65% of calcium and 0.325% of aP still showing similar results when compared to control diet. There was a significant difference (P<0.05) between isolated levels of calcium and of aP for DMDC, and interaction levels of calcium and of aP of diets to AMEn and ACPDC. For this stage of creation, calcium and available phosphorus levels in diets can be reduced to 0.65 and 0.325 respectively, when 500 FTU of phytase/kg diet are used without affect the performance and percentage of bone ash, and show good values to the EMAn, the CDMS and the CDPB, respectively.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/1908
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.