Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2439
Título: Fauna parasitária de Pimelodus maculatus Lacépède, 1803 (Siluriformes: Pimelodidae) capturados à montante e à jusante da Usina Hidrelétrica do Funil, Rio Grande, MG
Título(s) alternativo(s): Parasitic fauna of Pimelodus maculatus Lacépède, 1803 (Siluriformes: Pimelodidae) captured the upstream and downstream of Funil Hydroeletric power plant, Grand River, MG
Autor : Nogueira, Luly de Assis
Primeiro orientador: Garcia, Adriana Mello
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Pompeu, Paulo dos Santos
Primeiro membro da banca: Mian, Gláucia Frasnelli
Barçante, Joziana Muniz de Paiva
Área de concentração: Ciências Veterinárias
Palavras-chave: Peixe
Parasito
Mandi
Nematoide
Biologia
Parasite
Fish
Mandi
Data da publicação: 8-Ago-2014
Referência: NOGUEIRA, L. de A. Fauna parasitária de Pimelodus maculatus Lacépède, 1803 (Siluriformes, Pimelodidae) capturados à montante e à jusante da Usina Hidrelétrica do Funil, Rio Grande, MG.2011. 64 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.
Resumo: O objetivo do presente estudo foi identificar e analisar a fauna parasitária de P. maculatus capturados na bacia do rio Grande, MG, à montante (reservatório) e à jusante (rio) da barragem da UHE Funil, fornecer dados relativos à prevalência, intensidade e abundância parasitária, avaliar a relação do comprimento total, peso, fator de condição, sexo e local de coleta dos hospedeiros sobre a fauna parasitária e identificar espécies com possível potencial zoonótico. Foram coletados nos meses de março, maio, setembro e outubro de 2009 e abril, outubro e novembro de 2010, 26 espécimes de Pimelodus maculatus à jusante, sendo 17 fêmeas e 9 machos e à montante foram coletados 29 peixes, 15 fêmeas, 12 machos e 2 imaturos (sexo não definido). Foi realizada a biometria (peso e tamanho), a necropsia seguiu a metodologia de Eiras et al., (2006) e a identificação do sexo segundo Vazzoler (1996). Do total de indivíduos de P. maculatus capturados (55) à montante e à jusante, 52 (94,54%) estavam parasitados por pelo menos uma espécie de endoparasito, pertencentes aos grupos: Nematoda: Contracaecum sp. Tipo I, Contracaecum sp. Tipo II, Hysterothylacium sp., Procamallanus (Spirocamallanus) pimelodus, Cucullanus pinnai; Acanthocephala: Neoechinorhynchus pimelodi; Eucestoda: Nomimoscolex sp. Nas análises da possível influência do comprimento total e peso dos hospedeiros sobre fauna parasitária, foi encontrada diferença significativa para as espécies de parasitos: Hysterothylacium sp, Contracecum sp tipo II, Contracecum sp tipo I, P. (S.) pimelodus e Cucullanus pinnai. Para o fator de condição encontrou-se correlação negativa somente para o parasito P. (S.) pimelodus, sendo esta espécie a única que provavelmente está afetando o desenvolvimento do hospedeiro P. maculatus. Para as outras espécies de parasitos, provavelmente, não estão causando danos significativos no hospedeiro e ambos já apresentam alto grau de adaptação. O sexo influenciou somente o nematóide P. (S.) pimelodus, onde provavelmente este sofre influência das diferenças entre machos e fêmeas. Em relação aos locais de coleta, houve diferença significativa para as espécies Hysterothylacium sp., Contracaecum sp tipo I e Contracaecum sp tipo II, podendo indicar diferença na disponibilidade de alimento (hospedeiro intermediário) e comportamento dos peixes em relação ao ambiente. A riqueza e prevalência de ectoparitas foram bastante baixas neste estudo. As espécies relatadas com potencial zoonótico encontradas foram Hysterothylacium sp, Contracaecum sp tipo I e Contracaecum sp tipo II.
O objetivo do presente estudo foi identificar e analisar a fauna parasitária de P. maculatus capturados na bacia do rio Grande, MG, à montante (reservatório) e à jusante (rio) da barragem da UHE Funil, fornecer dados relativos à prevalência, intensidade e abundância parasitária, avaliar a relação do comprimento total, peso, fator de condição, sexo e local de coleta dos hospedeiros sobre a fauna parasitária e identificar espécies com possível potencial zoonótico. Foram coletados nos meses de março, maio, setembro e outubro de 2009 e abril, outubro e novembro de 2010, 26 espécimes de Pimelodus maculatus à jusante, sendo 17 fêmeas e 9 machos e à montante foram coletados 29 peixes, 15 fêmeas, 12 machos e 2 imaturos (sexo não definido). Foi realizada a biometria (peso e tamanho), a necropsia seguiu a metodologia de Eiras et al., (2006) e a identificação do sexo segundo Vazzoler (1996). Do total de indivíduos de P. maculatus capturados (55) à montante e à jusante, 52 (94,54%) estavam parasitados por pelo menos uma espécie de endoparasito, pertencentes aos grupos: Nematoda: Contracaecum sp. Tipo I, Contracaecum sp. Tipo II, Hysterothylacium sp., Procamallanus (Spirocamallanus) pimelodus, Cucullanus pinnai; Acanthocephala: Neoechinorhynchus pimelodi; Eucestoda: Nomimoscolex sp. Nas análises da possível influência do comprimento total e peso dos hospedeiros sobre fauna parasitária, foi encontrada diferença significativa para as espécies de parasitos: Hysterothylacium sp, Contracecum sp tipo II, Contracecum sp tipo I, P. (S.) pimelodus e Cucullanus pinnai. Para o fator de condição encontrou-se correlação negativa somente para o parasito P. (S.) pimelodus, sendo esta espécie a única que provavelmente está afetando o desenvolvimento do hospedeiro P. maculatus. Para as outras espécies de parasitos, provavelmente, não estão causando danos significativos no hospedeiro e ambos já apresentam alto grau de adaptação. O sexo influenciou somente o nematóide P. (S.) pimelodus, onde provavelmente este sofre influência das diferenças entre machos e fêmeas. Em relação aos locais de coleta, houve diferença significativa para as espécies Hysterothylacium sp., Contracaecum sp tipo I e Contracaecum sp tipo II, podendo indicar diferença na disponibilidade de alimento (hospedeiro intermediário) e comportamento dos peixes em relação ao ambiente. A riqueza e prevalência de ectoparitas foram bastante baixas neste estudo. As espécies relatadas com potencial zoonótico encontradas foram Hysterothylacium sp, Contracaecum sp tipo I e Contracaecum sp tipo II.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2439
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DMV - Ciências Veterinárias - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.