Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2472
Título: Perda de matéria seca em silagem de cana - de - açúcar tratada com aditivos químicos e microbiológicos.
Título(s) alternativo(s): Dry matter loss in sugarcane silage treated with chemical and microbiological additives.
Autor : Miranda, Daniel César Leite
Primeiro orientador: Pereira, Marcos Neves
Primeiro membro da banca: Andrade, Gustavo Augusto de
Alves, Nadja Gomes
Ladeira, Márcio Machado
Área de concentração: Nutrição de Ruminantes
Palavras-chave: Silagem
Cana-de-Açúcar
Materia Seca
Nutrição Animal
Dry matter
Sugarcane
Animal nutrition
Data da publicação: 11-Ago-2014
Referência: MIRANDA, D. C. L. Perda de matéria seca em silagem de cana-de-açúcar tratada com aditivos químicos e microbiológicos. 2006. 74 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2006.
Resumo: A cana-de-açúcar é uma opção forrageira para a alimentação de bovinos, já que tem alto potencial de produção de matéria seca, de alto conteúdo energético, por hectare. A colheita concentrada da cana para ensilagem pode ser uma alternativa ao manejo alimentar tradicional de colheita diária da forrageira fresca. A ensilagem pode facilitar o manejo do rebanho, permite a utilização da forragem na estação chuvosa do ano, e maximiza a eficiência dos tratos culturais, dentre outras vantagens. Entretanto, conseqüências da fermentação alcoólica da cana são a alta perda de sacarose e a baixa estabilidade aeróbica da silagem descarregada. O Experimento 1 avaliou o uso de aditivos químicos e microbiológicos na ensilagem da cana. Amostras da forragem ao redor de 9 kg foram ensiladas em baldes de 20l. Um arranjo fatorial 4x3 de tratamentos foi adotado. Aditivos químicos: Controle, sorbato de potássio (0,05% da matéria natural, MN), uréia (1% da MN) e cal hidratada (1% da MN). Aditivos microbiológicos: Controle, L. plantarum e L. buchneri (ambos a 1 x 106 ufc/g de MN). Cada uma das doze possíveis combinações de tratamentos foi replicada seis vezes em cada dia de abertura dos silos: 7, 14, 28 e 77 dias após a ensilagem. Não houve efeito de tratamento sobre o aquecimento por 126 horas da silagem descarregada (P>0,13). A inclusão de cal reduziu o teor de FDN de 79,9% da MS para 69,2% (P<0,01). Tanto a uréia quanto a cal aumentaram o pH da silagem, sendo o aumento mais marcado no dia 77 (P<0,01 para a interação entre aditivo químico e dia de abertura). Este maior pH foi associado à ocorrência de 39% de silagens com fermentação clostrídica no tratamento uréia e 56% no tratamento cal, apenas no dia 77 de abertura dos silos (P<0,01, Chi-Quadrado). A associação de sorbato com os inoculantes microbiológicos aumentou o teor de MS aos 7 e aos 77 dias de ensilagem, enquanto a associação de uréia com os inoculantes só atuaram positivamente sobre o teor de MS aos 77 dias (P=0,04 para a interação entre aditivo químico, aditivo microbiológico e dia de abertura). O Experimento 2 avaliou a perda na massa de nutrientes, ao longo de 767 dias de ensilagem, de 9 amostras de 1,9 kg de cana pura. O teor de FDN aumentou de 47,0% da MS para 68,7%. A perda de nutrientes, proporcionalmente ao original, foi: 32,8% para a MS em tolueno, 44,1% para a MS a 100oC, 18,3% para a FDN e 67,0% para a MS não-FDN. O Experimento 3 avaliou a perda na massa de nutrientes e o aquecimento pós-abertura de 60 amostras de 7,9 kg de cana ensiladas por 40 dias. Os três tratamentos foram: Controle, L. plantarum (1 x 106 ufc/g de MN) e L. Buchneri (6,6 x 105 ufc/g de MN). A ensilagem aumentou o teor de FDN da cana ensilada de 47,5% da MS para 70,5%. Em média, a perda nas massas de nutrientes foi: 23,9% para a MS em tolueno, 34,0% para a MS a 100oC, 1,9% para a FDN e 62,9% para a MS não-FDN. Enquanto o L. plantarum reduziu, o L. buchneri aumentou a perda de MS a 100oC (P<0,05), apesar da magnitude biológica do efeito ter sido pequena ( 1,6 unidades percentuais). Não foi detectado efeito de tratamento sobre o aquecimento das silagens após a abertura dos silos. A ensilagem da cana induziu a um aumento significativo no teor de FDN da forragem fresca e a uma alta perda de nutrientes. A associação entre sorbato de potássio e inoculantes microbianos melhorou a ação tanto dos microorganismos homo quanto dos heterofermentativos. Entretanto, o efeito dos inoculantes microbianos sobre a perda e o teor de matéria seca foi pequeno. O uso da uréia não se mostrou promissor. O uso de cal, em cana ensilada por períodos inferiores a 28 dias, pode ser uma maneira de reduzir o teor de fibra do alimento. O uso de aditivos capazes de aumentar o pH, por períodos prolongados de ensilagem, pode aumentar o risco de ocorrência de fermentação clostrídica da cana.
Sugarcane is a viable forage for feeding bovine, since it has a high potential for producing dry matter, of high energy content, per hectare. The concentrated harvesting of the sugarcane for ensilaging may be an alternative to the traditional feeding management of daily harvesting fresh forage. The ensilaging may facilitate the management of the herd, allows the use of the forage during the rainy season of the year, and maximize the efficiency of cultural practices, among other advantages. However, consequences of the alcoholic fermentation of the sugarcane are the high sucrose loss and the low aerobic stability of the unloaded silage. Experiment 1 evaluated the use of chemical and microbiological additives in sugarcane silage. Around 9 kg forage samples were ensiled in 20 l buckets. A 4x3 factorial arrangement of treatments was adopted. Chemical additives: Control, potassium sorbate (0.05% of fresh weight, FW), urea (1% of FW) and calcium hydroxide (1% of FW). Microbiological additives: Control, L. plantarum and L. buchneri (both at 1 x 106 cfu/g of FW). Each one of the twelve possible combinations of treatments was replicated six times in each day of silage opening: 7, 14, 28 and 77 after ensilaging. There was no treatment effect on the 126-hour heating of the unloaded silage (P>0.13). The inclusion of calcium hydroxide reduced the NDF content from 79.9% of DM to 69.2% (P<0.01). Both urea and calcium hydroxide increased silage pH, being the increase more accentuated on day 77 (P<0.01 for the interaction between chemical additive and day of opening). This increased pH was associated to the occurrence of 39% of silages with clostridial fermentation in the urea treatment and 56% in the calcium hydroxide treatment, only during day 77 of silo opening (P<0.01, Chi-Square). The association of sorbate with microbiological additives increased the DM content at 7 and 77 days of ensilaging, while the urea association with inoculum had a positive action only on day 77 (P=0.04 for the interaction among chemical additive, microbiological additive and day of opening). Experiment 2 evaluated the loss in nutrient mass, along 767 days of ensilaging, of nine 1.9 kg pure sugarcane samples. The NDF content increased from 47.0% of DM to 68.7%. Silage loss, proportionally to the original, was: 32.8% for toluene DM, 44.1% for oven DM, 18.3% for NDF and 67.0% for the non-NDF DM. Experiment 3 evaluated the loss of nutrient mass and the heating following unloading of sixty 7.9 kg sugarcane samples ensiled for 40 days. The three treatments were: Control, L. plantarum (1 x 106 cfu/g of FW) or L. buchneri (6.6 x 105 cfu/g of FW). The ensilaging increased the sugarcane NDF content from 47.5% of DM to 70.5%. On average, the losses in nutrient mass were: 23.9% for toluene DM, 34.0% for oven DM, 1.9% for NDF and 62.9% for the non-NDF DM. While L. plantarum reduced, L. buchneri increased the loss of 100oC DM loss (P<0.05), in spite of the small biological magnitude of the effect (1.6 percentage units). It was not detected a treatment effect on silage heating following unloading. The ensilaging of the sugarcane induced a significant increase in NDF content of the fresh forage and a high nutrient loss. The association between potassium sorbate and microbial inoculum improved the action of homo as well as heterofermentative microorganisms. However, the effect of microbial inoculants on DM loss and content was small. The use of urea was not promising. The use of calcium hydroxide in sugarcane ensiled for less than 28-day periods, may be a way to reduce the fiber content of the feed. The use of additives capable of increasing pH, during prolonged periods of ensilaging, may increase the risk of occurring clostridial fermentation of the sugarcane.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2472
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.