Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/28640
Título: “Uma colônia cosmopolita”: história, memória e cultura no processo migratório do núcleo colonial agrícola inconfidentes (1910-1930)
Autor : Silva, Tânia Gonçalves Bueno da
Lattes: http://lattes.cnpq.br/5186852361746554
Primeiro orientador: Barbosa, Vanderlei
Primeiro membro da banca: Damiano, Gilberto Aparecido
Segundo membro da banca: Lima, Francine de Paula Martins
Palavras-chave: Processo migratório
Economia agrária
Complexidade cultural
Memória cultural
Migratory process
Agrarian economy
Cultural complexity
Cultural memory
Data da publicação: 22-Fev-2018
Referência: SILVA, T. G. B. da. “Uma colônia cosmopolita”: história, memória e cultura no processo migratório do núcleo colonial agrícola inconfidentes (1910-1930). 2018. 110 p. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2017.
Resumo: Esta pesquisa situa-se no campo histórico das representações culturais e tem como objeto de estudos dois espaços migratórios: o Núcleo Colonial Inconfidentes e o Patronato Agrícola Visconde de Mauá, tendo como objetivo a busca da identidade local. Este est udo também auxilia na compreensão da cultura migrante como objetivo da Política P ública Republicana brasileira para alavancar a economia agrária, onde a região do Sul de Minas Gerais, na cidade de Ouro Fino, implantará o Núcleo Colonial dos Inconfidentes. Este espaço pensado e projetado torna-se um importante centro de abastecimento agrícola que receberá onze etnias europeias mais a brasileira, ocasião social que impulsiona a transferência do Patronato Agrícola Visconde de Mauá. Desta forma, constatamos que era importante o resgate desta micro-história para analisarmos se o processo migratório da Colônia Inconfidentes foi um diferencial na composição da diversidade cultural desta colônia a fim de valorizarmos a identidade local pelas diferentes gerações. Portanto, para interpretar a história, a memória e cultura deste Núcleo agrário, fizemos um recorte no período de 1910 a 1930. Os documentos bibliográficos e históricos foram importantes na investigação, dentre eles os documentos primários formam a base principal desta pesquisa. São eles, os periódicos da Gazeta de Ouro Fino; Acervos da família de D. Catarina Blessa Garcia com um vídeo gravado pela imigrante; Leis e Decretos relacionados ao período; fotografias; Obras: “Trem de Manobra” do Cônego Augusto José de Carvalho (1982); “A diocese de Pouso Alegre no Ano Jubilar de 1950” organizado pelo Cônego João Aristides de Oliveira; “Páginas de Uma Longa Vida” de Aureliano Leite (1966); “Correspondência de Bueno Brandão ” de Guerino Casasanta (1958); livro da autora Guimarães (2010), intitulado: “Inconfidentes a terra que me viu nascer ”. A metodologia de pesquisa foi pautada numa abordagem qualitativa, perspectiva teóricobibliográfica e histórico-documental. Os principais autores referenciados são facilitadores no desenvolvimento de pesquisas científicas pautadas na História Nova para que possamos interpretar os dados de experiências do passado ampliando a nossa orientação histórica. São eles: Bosi (1983), Certeau (1998), Chartier (1990), Le Goff (1990), Perrot (1989), Rüsen (1997) e identidade com Ribeiro (1995). O conjunto de dados e narrativas históricas nos permitiu chegar a algumas conclusões, como a agricultura sendo o principal fator de formação do Núcleo Colonial Inconfidentes e o mesmo que une imigrantes e migrantes. Identificamos, por meio da memória, características específicas das práticas culturais local sendo representadas de forma plural tanto dos imigrantes no cotidiano do Núcleo Inconfidentes quanto dos discentes compondo o cotidiano escolar do Patronato Agrícola Visconde de Mauá. Constatamos também nos fragmentos dessas memórias históricas que tanto os imigrantes europeus, e os nacionais como os migrantes, alunos do Patronato, foram desbravadores na localidade co m sua força de trabalho. Por fim, concluímos que a memória é um importante aparato para a história, visibilizando a pluralidade e complexidade cultural fortalecendo a identidade dos grupos.
Abstract: This research is based in the historical field of cultural representations, whose study object is two migratory spaces: the Inconfidentes Colonial Nucleus and the Visconde de Mauá Agricultural Patronage, as objective seeking the local identity. This study also helps in understanding the migrant culture as an objective of the Brazilian Republican Public Policy to leverage the agrarian economy, where the Minas Gerais south region, in Ouro Fino city will implant the Inconfidentes Colonial Nucleus. This space thinking and designed becomes an important center of agricultural supply that will receive eleven European ethnicities plus Brazilian, social occasion that promote the transfer of the Visconde de Mauá Agricultural Patronage. In this way, we verified that it was important to rescue this micro history to analyze if the migratory process of the Inconfidentes Colony was a differential in the composition of the cultural diversity of this colony in order to valorize the local identity by the different generations. Therefore, in order to interpret the history, memory and culture of this Agrarian Center, we made a cut from 1910 to 1930. The bibliographical and historical documentary were important in the investigation, among them, the primary documents form the main basis of this research. They are: the periodicals from Ouro Fino Gazeta; Collections from the D. Catarina Blessa Garcia family with a video recorded by the immigrant; Laws and Decrees related to the period; photographs; Works: “Trem de Manobra” by Canon Augusto José de Carvalho (1982); “A diocese de Pouso Alegre no Ano Jubilar de 1950” organized by Canon João Aristides de Oliveira; "Páginas de Uma Longa Vida" by Aureliano Leite (1966); "Correspondência de Bueno Brandão" by Guerino Casasanta (1958); book of the author Guimarães (2010) entitled "Inconfidentes a terra que me viu nascer". The research methodology was based on a qualitative approach, theoretical-bibliographical perspective and historical-documentary. The main authors referenced are facilitators in the development of scientific research based on New History, so that we can interpret data from past experiences broadening our historical orientation. They are: Bosi (1983), Certeau (1998), Chartier (1990), Le Goff (1990), Perrot (1989), Rüsen (1997) and identity by Ribeiro (1995). The data set and historical narratives allowed us to reach some conclusions, such as agriculture being the main factor of Inconfidentes Colonial Nucleus formation and the same that join immigrants and migrants. We identified through memory specific characteristics of the local cultural practices being represented in a plural way, both of immigrants in the Inconfidentes Nucleus daily life, as the students composing the Visconde de Mauá Agricultural Patronage scholarly daily life. We also find in the fragments of these historical memories that both the European immigrants and the national like migrants, students from Patronage were pioneers in the locality with their work force. Finally, we conclude that the memory is an important apparatus for history, making visible the plurality and cultural complexity strengthening the groups' identity.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/28640
Publicador: Universidade Federal de Lavras
Idioma: por
Aparece nas coleções:DED - Educação - Mestrado Profissional (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.