Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/32836
metadata.teses.dc.title: Problematizando o estudo da cosmologia para a Educação Básica: por que a noite é escura?
metadata.teses.dc.title.alternative: Problematizing the study of cosmology for basic education: why is night dark?
metadata.teses.dc.creator: Seabra, Maria Emilia Faria
metadata.teses.dc.contributor.advisor1: Henrique, Alexandre Bagdonas
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co1: Maciel, Antônio Marcelo Martins
metadata.teses.dc.contributor.referee1: Pagliarini, Cassiano Rezende
metadata.teses.dc.contributor.referee2: Alves, Jacqueline Magalhães
metadata.teses.dc.subject: Ensino de física
Ensino de cosmologia
Paradoxo de Olbers
História e filosofia da ciência
Physics teaching
Cosmology teaching
Olbers paradox
History and philosophy of science
metadata.teses.dc.date.issued: 18-Feb-2019
metadata.teses.dc.identifier.citation: SEABRA, M. E. F. Problematizando o estudo da cosmologia para a Educação Básica: por que a noite é escura? 2019. 92 p. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2018.
metadata.teses.dc.description.resumo: Neste trabalho, criamos uma sequência didática sobre o ensino de cosmologia e investigamos seu desenvolvimento com estudantes do primeiro ano do ensino médio, de uma escola d a rede particular da cidade de Lavras. A sequência é composta de oito atividades, totalizando onze aulas. O foco dos episódios históricos estudados foi a questão: Por que o céu, com infinitas estrelas, não é claro a noite? Tal questão é conhecida como Paradoxo de Olbers. No contexto da época de Olbers, acreditava-se que o universo e o número de estrelas eram infinitos, porém, o que se observava é uma noite escura ao invés de ser totalmente clara. Para esse paradoxo, ao longo dos séculos, foram feitas várias tentativas de soluções, algumas das quais citamos no trabalho. O objetivo geral da pesquisa foi analisar como o conhecimento destes episódios da história da cosmologia pode possibilitar aos estudantes superarem certas visões ingênuas ou inadequadas da ciência, que tem sido criticada por pesquisadores da área de História e Filosofia da Ciência (HFC) no Ensino. Elas contribuem para visões fechadas da ciência, tais como: cientistas que são gênios isolados, que fazem uso de um método científico rígido e bem definido, além de uma ciência que é inquestionável, uma verdade absoluta. Essas visões são assim chamadas, pois distanciam o estudante da forma como se constroem e produzem os conhecimentos científicos. Os episódios escolhidos evidenciam ao processo histórico de construção de teorias, abordando como a questão do Paradoxo de Olbers foi investigada desde o Renascimento até o século XX, quando foi explicada pela teoria do Big Bang, que atualmente é a mais aceita para explicar o surgimento do universo. A estrutura das atividades foi inspirada na problematização e dialogicidade, que são centrais nos três momentos pedagógicos, uma transposição da concepção de Paulo Freire para a educação escolar. Buscamos enfatizar estratégias de ensino diversificadas, como: uso de vídeos, elaboração de desenhos, interpretação de textos e debates sobre os temas relacionados. Pela análise dos dados coletados, foi possível verificar que os/as estudantes conseguiram identificar que para se chegar a uma teoria, o processo é longo, cheio de erros e acertos de muitas pessoas, o que implica que o ser humano sempre teve sucessos e fracassos na busca de compreender a natureza e a sociedade. Durante esse processo muitos nomes são deixados de lado, mesmo que tenham sido relevantes na elaboração de uma teoria, surgindo desta forma estereótipos que levam a crer na genialidade única de certos cientistas. Além disso, após a intervenção foi possível identificar uma descrença relacionada ao método científico, um ponto que a priori todos os estudantes associaram com o desenvolvimento da Ciência. Acreditamos que uma abordagem com aspectos da HFC contribuiu na formação de cidadãos críticos e integrados com o mundo e a realidade em que vivem.
metadata.teses.dc.description.abstract: In this work, we created a didactic sequence about cosmology and investigated its development with students of the first year of high school, of a school in the private network of the city of Lavras. The sequence is composed of eight activities, totaling eleven classes. The focus of the historical episodes studied was the question: Why is the sky, with infinite stars, not clear at night? Such a question is known as Olbers Paradox. In the context of the time of Olbers, it was believed that the universe and the number of stars were infinite, but what was observed is a dark night instead of being totally clear. For this paradox, over the centuries, several attempts at solutions have been made, some of which are quoted in the paper. The general objective of the research was to analyze how knowledge of these episodes in the history of cosmology can enable students to overcome certain naive or inadequate views of science that have been criticized by researchers of the History and Philosophy of Science (HFC) in Education. They contribute to closed visions of science, such as: scientists who are isolated geniuses who make use of a rigid and well-defined scientific method, plus a science that is unquestionable, an absolute truth. These visions are so called, because they distance the student from the way they construct and produce scientific knowledge. The episodes selected highlight the historical process of construction of theories, addressing how the question of the Olbers Paradox was investigated from the Renaissance to the twentieth century, when it was explained by the Big Bang theory, which is currently the most accepted to explain the emergence of universe. The structure of the activities was inspired by the problematization and dialogicity, which are central in the three pedagogical moments, a transposition of Paulo Freire's conception for school education. We seek to emphasize diverse teaching strategies, such as: use of videos, drawing of drawings, interpretation of texts and debates on related themes. By analyzing the data collected, it was possible to verify that the students were able to identify that in order to arrive at a theory, the process is long, full of errors and correct answers of many peop le, which implies that the human being always had successes and failures in the quest to understand nature and society. During this process many names are left aside, even if they have been relevant in the elaboration of a theory, arising in this way stereotypes that lead to believe in the unique genius of certain scientists. In addition, after the intervention it was possible to identify a disbelief related to the scientific method, a point that a priori all students associated with the development of Science. We believe that an approach with aspects of HFC has contributed to the formation of critical and integrated citizens with the world and the reality in which they live.
metadata.teses.dc.description: Arquivo retido, a pedido da autora, até fevereiro 2020.
metadata.teses.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/32836
metadata.teses.dc.publisher: Universidade Federal de Lavras
metadata.teses.dc.language: por
Appears in Collections:DEX - Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física – (Dissertações)

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.