Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/35011
metadata.teses.dc.title: Diversidade da dieta de morcegos frugívoros e a heterogeneidade da vegetação
metadata.teses.dc.title.alternative: Diversity of diet of frugivorous bats and the heterogeneity of vegetation
metadata.teses.dc.creator: Silva, Lilith Conceição
metadata.teses.dc.creator.Lattes: http://lattes.cnpq.br/6927848365124135
metadata.teses.dc.contributor.advisor1: Gregorin, Renato
metadata.teses.dc.contributor.referee1: Costa, Maria Clara Nascimento
metadata.teses.dc.contributor.referee2: van den Berg, Eduardo
metadata.teses.dc.subject: Frugivoria
Quirópteros
Heterogeneidade da vegetação
Estrutura da vegetação
Composição da vegetação
Frugivory
Chiroptera
Heterogeneity of vegetation
Vegetation structure
Vegetation composition
metadata.teses.dc.date.issued: 27-Jun-2019
metadata.teses.dc.description.sponsorship: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
metadata.teses.dc.identifier.citation: SILVA, L. C. Diversidade da dieta de morcegos frugívoros e a heterogeneidade da vegetação. 2019. 55 p. Dissertação (Mestrado em Ecologia Aplicada)–Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2019.
metadata.teses.dc.description.resumo: Florestas tropicais são altamente diversas e fornecem recursos para muitos animais, como os que se alimentam de frutos e atuam como dispersores de sementes, auxiliando na manutenção dos ecossistemas. A frugivoria é um dos hábitos mais comuns entre morcegos neotropicais e a diversidade de morcegos frugívoros tem sido associada à grande abundância de recursos. Ambientes mais heterogêneos podem fornecer mais recursos, acomodando mais espécies com diferentes combinações de seus usos, o que pode influenciar no número de plantas consumidas por morcegos. Nesta dissertação, buscou-se investigar a relação entre a heterogeneidade da vegetação e a diversidade da dieta de morcegos frugívoros. A diversidade da dieta foi estimada pelo método Bootstrap utilizando os dados de sementes encontradas nas fezes de morcegos frugívoros coletados durante 40 noites entre os meses de agosto de 2017 e setembro de 2018, em 10 redes de neblina em 10 fragmentos florestais no sul de Minas Gerais. Para a obtenção de dados da vegetação arbórea, foram montadas 10 parcelas de 10 x 10 m em cada fragmento, sendo obtidos o diâmetro à altura do peito (DAP), altura das árvores, cobertura de dossel e as espécies identificadas dentro de cada parcela foram alocadas em uma subparcela de 5 x 5 e os mesmos dados foram obtidos para a vegetação do estrato regenerante. A diversidade beta (β) da estrutura foi calculada utilizando a média dos dados da vegetação arbórea e do estrato regenerante, obtendo-se o valor de distância média do centroide por fragmento, sendo os valores comparados por um teste de permutação. A diversidade β arbórea e do estrato da regeneração foram obtidos utilizando a abundância de cada espécie de planta por parcela, obtendo-se o valor de distância média do centroide por fragmento e comparando os valores por teste de permutação. Uma análise de componentes principais foi realizada com os valores dos três tipos de diversidade β e os eixos principais foram extraídos. Foram construídos modelos lineares generalizados (GLM) para relacionar a diversidade da dieta para as espécies com mais registros de sementes e modelos mistos (GLMM) para comunidade com os valores das diversidades e com os eixos principais da PCA. Dos 781 morcegos capturados, 688 indivíduos de 10 espécies são frugívoros, foram obtidos 377 registros de sementes de 31 espécies de plantas. As três espécies de morcegos com mais registros de sementes consumidas foram Carollia perspicillata, Sturnira lilium e Artibeus lituratus. A espécie A. lituratus respondeu positivamente a diversidade β arbórea, C. perspicillata e o total de espécies também responderam positivamente para a mesma variável após a retirada de um ponto discrepante, S. lilium não respondeu a nenhuma variável. Para os modelos com os eixos da PCA, apenas A. lituratus respondeu positivamente ao eixo 1. Esses resultados sugerem que a heterogeneidade da vegetação arbórea é um fator importante para a diversidade da dieta de morcegos frugívoros, porém a resposta pode variar de acordo com a biologia da espécie. Os resultados evidenciam que a perda da diversidade arbórea pode afetar os serviços ecossistêmicos promovidos por esses morcegos.
metadata.teses.dc.description.abstract: Tropical forests are highly diverse and provide resources for many animals, such as those that eat fruits and function as seed dispersers, helping with ecosystem maintain. Frugivory is one of the most common habits among neotropical bats and the diversity of frugivorous bats has been associated with a great abundance of resources. More heterogeneous environments may provide more resources, accommodating more species with different combinations of their uses, which may influence the number of plants consumed by bats. In this dissertation, we investigated the relationship between heterogeneity of vegetation and diet diversity of fruit bats. The diversity of diet was estimated using the Bootstrap method, Using the data from seed found on the feces of frugivore bats collected during 40 nights between the months of August 2017 and September 2018, in 10 mist networks in 10 forest fragments in the south of Minas Gerais. Data on arboreal vegetation was obtained by creating 10 plots for each fragment measuring 10 x 10 m each. Measurements were: tree diameter at breast height (DHB), tree height and canopy cover; tree species were identified. Within each plot, a 5 x 5m subplot was designated, and the same data were obtained for the vegetation under regeneration. The beta diversity of the structure was calculated for the arboreal vegetation and the vegetation under regeneration using the means of collected data, obtaining the mean distance of the centroid by fragment, and the values were compared by a permutation test. The arboreal vegetation β diversity and the vegetation under regeneration were obtained by using the abundance of each plant species per plot, finding the mean centroid distance per fragment and comparing the values using a permutation test. A principal component analysis was performed with the values of the three types of β diversity and the main axes were extracted. Generalized linear models (GLM) were constructed to relate the diversity of the diet to the species that consumed more seeds and mixed models (GLMM) to the community with the values of the diversities and with the main axes of the PCA. Of the 781 bats captured, 688 individuals from 10 species were frugivorous and 377 records were obtained from seeds of 31 plant species. The three species of bats with the highest number of seeds consumed were Carollia perspicillata, Sturnira lilium, and Artibeus lituratus. The species A. lituratus responded positively to the arboreal vegetation β diversity, C. perspicillata and the total species also responded positively to the same variable after removal from a discrepant point, S. lilium did not respond to any variable. For the models with axes of the PCA, only A. lituratus responded positively to axis 1. These results suggest that tree vegetation heterogeneity is an important factor for the diversity of the frugivore bats diet, however, the response may change according to the biology of the species. The results demonstrate that the loss of tree diversity may affect the ecosystem services promoted by these bats.
metadata.teses.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/35011
metadata.teses.dc.publisher: Universidade Federal de Lavras
metadata.teses.dc.language: por
Appears in Collections:DBI - Ecologia Aplicada - Mestrado (Dissertações)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.