Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/40398
metadata.artigo.dc.title: Análise da tendência do número de feminicídio na região sudeste
metadata.artigo.dc.creator: Silva, Victor Ferreira
Lima, Kelly Pereira de
Silva, Édipo Menezes da
Scalon, João Domingos
Fernandes, Felipe Augusto
metadata.artigo.dc.subject: Regressão polinomial
Igualdade de gênero
Violência contra mulher
Polynomial regression
Gender equality
Violence against women
metadata.artigo.dc.publisher: Universidade Federal de Alfenas
metadata.artigo.dc.date.issued: 2019
metadata.artigo.dc.identifier.citation: SILVA, V. F. et al. Análise da tendência do número de feminicídio na região sudeste. Sigmae, Alfenas, v. 8, n. 2, p. 796-800, 2019.
metadata.artigo.dc.description.resumo: A violência e abuso contra a mulher é uma prática que na cultura moderna não tem espaço seja em qualquer âmbito. Este assunto está sendo acompanhado de perto até mesmo pela ONU em que a mesma se desprende de recursos para confecção de relatórios anuais em esfera global, descrevendo os números das nações em destaque por alta ou baixa ocorrência e continentes. O feminicídio é o crime de ódio derradeiro, mostrando total intolerância para com um gênero que por anos foi suprimido e alienado de atingir e ser recompensado por todo seu potencial. Com o crescimento de notícias em tempo real ventiladas pelas redes sociais que são amplamente utilizadas, crimes cometidos contra a mulher são de amplo conhecimento por todos que tem interesse de saber. A grande dúvida é como esse cenário se desenvolve principalmente a partir da virada do século, este trabalho mostra no período de 2001 a 2016, a tendência e como se comporta a ocorrência dos casos de feminicídio nos estados do sudeste do Brasil. Tem-se que o comportamento se apresenta decrescente em três dos estados observados, o que é uma ótima motivação para prática de políticas de tolerância zero contra essas práticas, porém individualmente permanecem constantes desde 2009.
metadata.artigo.dc.description.abstract: Violence and abuse against women is a practice that in modern culture has no place at all. This issue is being closely monitored even by the UN, where it is disengaged from resources to produce annual reports at the global level, describing the numbers of nations highlighted by high or low occurrence and continents. Femicide is the ultimate hate crime, showing a complete intolerance toward a gender, that has been suppressed and alienated from reaching and being rewarded for its full potential for years. This paper aims to revel the situation between 2001 and 2016 this scenario develops mainly from the turn of the century, the analysis of the temporal trend was made using the linear polynomial model, modelling how the occurrence of femicide behaves in the south-eastern states of Brazil. As a result, the behaviour is decreasing in three of the observed states, which is a great motivation to practice zero tolerance policies against these practices, but individually remain constant since 2009.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/sigmae/article/view/1002
http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/40398
metadata.artigo.dc.language: pt_BR
Appears in Collections:DES - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.