Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/40781
metadata.artigo.dc.title: Soil management in integrated rose production system
metadata.artigo.dc.title.alternative: Manejo do solo em sistema de produção integrada de rosas
metadata.artigo.dc.creator: Barbosa, Juliana Caldeira Victer
Almeida, Elka Fabiana Aparecida
Paiva, Patrícia Duarte de Oliveira
Lessa, Marília Andrade
Carvalho, Lívia Mendes de
Reis, Simone Novaes
metadata.artigo.dc.subject: Rosa sp.
Cut flowers
Floriculture
Green fertilization
Flores de corte
Floricultura
Adubação verde
metadata.artigo.dc.publisher: Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais
metadata.artigo.dc.date.issued: 2019
metadata.artigo.dc.identifier.citation: BARBOSA, J. C. V. et al. Soil management in integrated rose production system. Ornamental Horticulture, Campinas, v. 25, n. 4, p.390-401, 2019.
metadata.artigo.dc.description.resumo: O sistema de produção integrada vem sendo utilizado em várias culturas, sendo inovador o seu uso em floricultura. Nessa atividade ainda são desconhecidos os efeitos de adubação verde ainda como os níveis de adubação fornecidos não são precisos. O objetivo foi identificar a melhor dose de adubo químico associado ou não à adubação verde, em produção integrada de rosas ‘Carola’. Os tratamentos consistiram de quatro porcentagens de adubação química, segundo a recomendação para Minas Gerais, (25%, 50%, 75% e 100%) associado ou não à adubação verde (calopogônio). Plantas que não receberam 100% da adubação química receberam a complementação de Bokashi (16 g/planta, via solo) e biofertilizante (5% foliar), em aplicações mensais. As avaliações foram realizadas três vezes por semana em um ano. A redução da adubação química não prejudicou a produção e qualidade das rosas, mas o adubo verde não foi benéfico. Os resultados das análises biométricas, de acúmulo, teor de nutrientes e características químicas do solo indicam que a adubação verde com calopogônio não é eficiente e, exceto para nitrogênio e magnésio, há possibilidade de utilização de até 75% da adubação química recomendada
metadata.artigo.dc.description.abstract: Integrated production systems have been used with various crops, and their use in floriculture is innovative. The effects of green fertilization in floriculture and the appropriate fertilization levels are still unknown. The aim was to identify the best dose of chemical fertilizer, with or without green fertilization, for integrated production of ‘Carola’ roses. The treatments consisted of 4 doses of the chemical fertilization recommended for rose bushes, (25%, 50%, 75%, and 100%), with or without green fertilization (calopo). Plants that were not treated with 100% (or complete) of chemical fertilization were supplemented monthly with Bokashi (16 g/plant, via the soil) and biofertilizer (5% via the leaves). The assessments were conducted 3 times per week for a year. The use of less chemical fertilizer did not affect rose production or quality, whereas the use of green fertilization did not provide a satisfactory outcome. The analyses, biometric, accumulation and nutrient content, and chemical characteristics of the soil, indicated that green fertilization with calopo was not beneficial. Moreover, with the exception of nitrogen and magnesium, there is the possibility of using 75% of the recommended chemical fertilization in rose bushes.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/40781
metadata.artigo.dc.language: en_US
Appears in Collections:DAG - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_Soil management in integrated rose production system.pdf2,92 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons