Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4088
Título: Fontes de óleos da dieta na composição do músculo, lipoproteínas plasmáticas, imunidade inata e resistência de tilápias do nilo (Oreochromis niloticus L. 1757)
Título(s) alternativo(s): Dietary oil sources in muscle composition, plasmatic lipoprotein, innate immunity and resistance of Nile tilapia (Oreochromis niloticus L. 1757)
Autor : Ferreira, Milena Wolff
Primeiro orientador: Logato, Priscila Vieira Rosa
Primeiro membro da banca: Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
Murgas, Luis David Solis
Pimenta, Maria Emilia de Sousa Gomes
Figueiredo, Henrique César Pereira
Área de concentração: Produção Animal
Palavras-chave: Tilápia (Peixe) - Imunidade
Tilápia (Peixe) - Colesterol
Tilápia (Peixe) - Ácidos graxos
Data da publicação: 29-Set-2014
Referência: FERREIRA, M. W. Fontes de óleos da dieta na composição do músculo, lipoproteínas plasmáticas, imunidade inata e resistência de tilápias do nilo (Oreochromis niloticus L. 1757). 2008. 57 p. Tese (Doutorado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.
Resumo: The objetive of this study to determine the influence of some dietary fatty acids sources on the chemistry composition, fatty acids profile and total cholesterol in muscle; in cholesterol quantity, triglycerides and plasmatic lipoprotein; in some innate immunity functions; in hematopoiesis; and, in resistence of the Nile tilapia (Oreochromis niloticus L.) to Streptococcus agalactiae challenge. Hundred sixty sexed male Nile tilapia, with an initial average weight of 72 g, were randomly stocked in 20 circular tanks and maintained with a density of eight fish/tank. Fish were acclimated to laboratory conditions and fed with the different experimental diets for 160 days. The the treatments were composed for five semi-purified diets, isocaloric and isonitrogenous, contain approximately 32 % of crude protein and 3200 Kcal kg-1 of digestible energy. The composition of diets was the same except for the oil sources, what were added 5% the of soybean oil (SO), corn oil (CO), linseed oil (LO), fish oil (FO) and olive oil (OO). At the end of the feeding period, eight fish were randomly chosen from each tank, were anesthetized with benzocaine, and blood samples were collected by cardiac punction, to the cholesterol, triglycerides, plasmatic lipoprotein, hematocrit, osmotic fragility of the red blood cells, serum total protein, serum iro concentration and total iron biding capacity, serum bactericidal capacity, spontaneous haemolytic complement and serum lysozyme activity analysis. Subsequently, the fish were slaughtered to the chemistry composition, fatty acids profiles and muscle total choresterol analysis. The fish remainder continued receive experimental diet to challenge later. At experimental challenge, eight fish for tank, of all treatments were anesthetized and challenge by intraperitoneal injection with 0.1 mL of Streptococcus agalactiae inoculum (104 CFU fish-1). Fish mortality was recorded three times a day during 15 days. With relationship to the analyses of muscular composition no difference was found in the moisture, ash and total cholesterol muscle (P>0.05).The fish fed SO, CO and OO diets showed high percentage of ether extract compared to fish fed LO and FO diets (P<0.05). The high percentage of protein was found in fish fed FO diet (P<0.05). The fatty acids profiles was influenced by dietary lipid sources (P<0.05). The group fed SO and CO diets showed high level of C18:2 -6, while the fish LO diet showed high level of C18:3 -3, and the fish FO diet showed high level of C22:6 -3. With relationship to the sanguine parameters The fish fed FO diet showed high total cholesterol, HDL and LDL concentrations, and the fish fed SO, CO and LO diets showed high VLDL and tryglicerides concentrations (P<0.05). Regarding to hematological and immunological parameters, the percentage higher of hematocrit and serum total protein was in group fed SO diet (P<0.05). The higher resistance of erytrocytes was found in cell of fish fed LO and FO diets (P<0.05). The fish fed SO, CO and FO diets showed higher serum iron concentration and consequently low iron binding capacity (P<0.05). The activity of spontaneous haemolytic complement no influencied by dietary lipid sources (P>0.05). Only fish fed FO diet showed lower bactericidal activity and, the lower lysozyme activity was observed in the fish fed OO diet (P<0.05). The higth survival, after the experimental challenge, was observed in the fish fed SO diet, continued to fish fed LO and FO diets, and in the grup fed OO diet occured 100 % mortality. Concluded with this work what, the diets contained soybean, corn and olive oil higher the muscle lipid deposition; the diets contained fish and olive oil improve the lipoprotein standart; a dieta conteined soyabean oil improve in the immune functions and resistence of Nile tilapia against Streptococcus agalactiae challenge; and teh diets contained linseed, fish and olive oil were associated to immunosupression.
Objetivou-se com esse estudo determinar a influência de alguns ácidos graxos da dieta na composição química, perfil de ácidos graxos e teor de colesterol total do músculo; na quantidade de colesterol sérico, triglicérides e lipoproteínas plasmáticas; em algumas funções imunes inata, na hematopoiese e na resistência de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus L.) a infecção por Streptococcus agalactiae. Cento e sessenta machos sexados de tilápia, com peso inicial médio de 72 g, foram distribuídos em 20 tanques circulares, com capacidade total de 100 L, em uma densidade de 8 peixes por tanque. Os peixes foram aclimatados as condições de laboratório e alimentados por 160 dias. Os tratamentos foram compostos por cinco dietas semi-purificadas, isoprotéicas e isoenergéticas, contendo aproximadamente 32 % de proteína bruta e 3200 Kcal/kg de energia digestível. A composição das dietas foram iguais exceto para as fontes de lipídeos, que foram adicionados 5% de óleo de soja (OS), óleo de milho (OM), óleo de linhaça (OL), óleo de peixe (OP) e óleo de oliva (OO). Após o período de alimentação, oito peixes de cada tratamento foram anestesiados com benzocaína, e amostras de sangue foram coletadas através de punção cardíaca, para as análises de colesterol sérico, triglicérides, lipoproteínas plasmáticas, porcentagem de hematócritos, fragilidade osmótica das hemácias, proteína total do soro, concentração de ferro e capacidade ligante de ferro do soro, capacidade bactericida, atividade do complemento e atividade de lisozima. Em seguida, os peixes foram sacrificados para as análises de composição química, perfil de ácidos graxos e colesterol total do músculo. O restante dos peixes permaneceram recebendo as dietas experimentais para posterior infecção experimental. Para a infecção experimental, oito peixes por tanque, de todos os tratamentos, foram anestesiados e desafiados por injeção intraperitonial com 0,1 mL Streptococcus agalactiae (104 UFC/peixe). A mortalidade dos peixes foi verificada durante 15 dias. Quanto às análises de composição muscular, as fontes de óleos da dieta não afetaram as porcentagens de umidade, cinzas e colesterol total do músculo (P>0,05). Os peixes alimentados com OS, OM e OO apresentaram maior quantidade de extrato etéreo quando comparados aos alimentados com OP e OL (P<0,05). A maior porcentagem de proteína foi encontrada nos peixes alimentados com OP (P<0,05). O perfil de ácidos graxos do músculo foi influenciado pelas fontes de óleos da dieta (P<0,05), os grupos alimentados com OS e OM apresentaram maior concentração de C18:2 ω6, enquanto os peixes alimentados com OL apresentaram maior concentração de C18:3 ω3, e os peixes alimentados com OP apresentaram maior concentração de C22:6 ω3. Quanto aos parâmetros sanguíneos, os peixes alimentados com OP apresentaram maior concentração de colesterol total sérico, HDL e LDL (P<0,05), e os peixes alimentados com OS, OM e OL apresentaram maior concentração de VLDL e triglicérides (P<0,05). Com relação aos parâmetros hematológicos e imunológicos, a maior porcentagem de hematócritos e de proteína total do soro foi observada no grupo alimentado com OS (P<0,05). Os grupos alimentados com OP e OL apresentaram maior resistência das hemácias. Os peixes alimentados com OS, OM e OP apresentaram maior concentração de ferro e, conseqüentemente menor capacidade de ligação de ferro. A atividade do complemento não foi influenciada pelas fontes de lipídeos da dieta (P>0,05). Apenas os peixes alimentados com OP apresentaram menor capacidade bactericida e, a menor atividade de lisozima foi observada nos peixes alimentados com OO (P<0,05). A maior sobrevivência, após a infecção experimental, foi observada nos peixes alimentados com OS, seguida pelos peixes alimentados com OL e OP, e no grupo alimentado com OO ocorreu 100 % de mortalidade. Conclui-se com esse trabalho que, as dietas contendo óleo de soja, milho e oliva aumentaram a deposição lipídica no músculo; as dietas contendo óleo de peixe e óleo de oliva melhoraram os padrões de lipoproteínas plasmáticas; a dieta contendo óleo de soja melhorou as funções imunes e a resistência de tilápias do Nilo contra infecção por Streptococcus agalactiae; e as dietas contendo óleo de linhaça, óleo de peixe e óleo de oliva foram associadas a imunossupressão.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4088
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.