Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/40920
metadata.artigo.dc.title: (In)Segurança alimentar no contexto da pandemia por SARS-CoV-2
metadata.artigo.dc.creator: Oliveira, Tatiana Coura
Abranches, Monise Viana
Lana, Raquel Martins
metadata.artigo.dc.subject: COVID-19
Coronavirus
SARS-CoV-2
Pandemic
Food insecurity
Pandemia
Insegurança alimentar
metadata.artigo.dc.publisher: CSP
metadata.artigo.dc.date.issued: 2020
metadata.artigo.dc.identifier.citation: OLIVEIRA, T. C.; ABRANCHES, M. V.; LANA, R. M. (In)Segurança alimentar no contexto da pandemia por SARS-CoV-2. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 4, p. 1-6, 2020.
metadata.artigo.dc.description.resumo: O avanço do novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2, sobre os países tem gerado a interrupção das atividades cotidianas da população, devido à necessidade de isolamento social para frear o avanço da doença, que em menos de 4 meses já expandiu para 190 países, incluindo o Brasil 1. Os principais sinais e sintomas provocados pelo vírus incluem febre, tosse e dificuldade para respirar 2. Sintomas gastrointestinais, como diarreia, vômitos e dor abdominal também foram relatados para a COVID-19, assim como nas infecções por outros coronavírus 3. A transmissão da doença costuma ocorrer pelo ar ou pelo contato direto das pessoas e se dá por meio de gotículas de saliva, espirro, tosse e secreções que podem contaminar mãos e superfícies 2. Como tentativa de frear a propagação do vírus, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e as principais autarquias de saúde no Brasil divulgaram como cuidados: higienizar as mãos, cobrir a boca com o antebraço ou lenço descartável ao tossir e espirrar, evitar aglomerações e manter-se em isolamento domiciliar, por até 14 dias, em caso de sintomas da doença 4. Também é incentivada a manutenção das pessoas em ambientes bem ventilados 5 e que as empresas e instituições públicas considerem a realização de trabalho remoto (home office), reuniões virtuais e cancelamento de viagens. No Brasil, os esforços neste estágio inicial da epidemia estão voltados para o enfrentamento do SARS-CoV-2, especialmente no sentido de evitar sua propagação 6 e, ao mesmo tempo, possibilitar o atendimento em saúde dos casos graves. Entretanto, outra face que se apresenta é a da segurança alimentar. Itália, Espanha e Portugal, já em quarentena, desenvolveram iniciativas para evitar aglomerações que impactaram a cadeia de alimentos. Nesses países, muitos estabelecimentos comerciais de refeições estão fechados e os supermercados passaram a implantar regras para acesso e aquisição de produtos, a fim de evitar o desabastecimento.
metadata.artigo.dc.description.abstract: The international spread of the new coronavirus called SARS-CoV-2 has led interruption of the population’s daily activities, due to the need for social distancing in order to slow the dissemination of the disease, which has reached 190 countries in four months, including Brazil 1. The main signs and symptoms of the virus are fever, cough, and difficulty breathing 2. Gastrointestinal symptoms such as diarrhea, vomiting and abdominal pain have also been reported for COVID-19, as well as infections with other coronaviruses 3. Transmission is generally airborne or by person-to-person contact, through droplets of saliva, sneezes, coughs, and secretions that can contaminate hands and surfaces 2. In the attempt to slow the virus’s spread, the World Health Organization (WHO) and the main health agencies in Brazil have recommended that individuals practice hand hygiene, cover the mouth with the bent elbow or tissue when coughing or sneezing, avoid crowds, and maintain home isolation for 14 days in case of disease symptoms 4. People are also encouraged to remain in well-ventilated environments 5, and companies and public institutions are urged to consider home office work, online meetings, and travel curtailment. In Brazil, efforts in this initial stage of the epidemic have focused on confronting SARS-CoV-2, especially avoiding its spread 6 while allowing healthcare for serious cases. However, another emerging side of the epidemic involves food security. Italy, Spain, and Portugal, already under quarantine, have developed initiatives to avoid crowding that have impacted the food chain. In these countries, most restaurants and bars are closed, and supermarkets have adopted rules for access and purchase of food products in order to avoid shortages.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/40920
metadata.artigo.dc.language: pt_BR
Appears in Collections:DSA - Artigos sobre Coronavirus Disease 2019 (COVID-19)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ARTIGO_(In)Segurança alimentar no contexto da pandemia por SARS-CoV-2.pdf518,74 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons