Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/42064
metadata.teses.dc.title: A cultura patriarcal e a representatividade feminina: Um estudo sobre a inserção das mulheres em cursos de agrárias de uma universidade do Sul de Minas
metadata.teses.dc.title.alternative: Patriarchal culture and female representativity: a study on the inclusion of women in agrarian courses at a university in the south of minas
metadata.teses.dc.creator: Paula, Flávia Caroline Alves de
metadata.teses.dc.creator.Lattes: http://lattes.cnpq.br/3799026504062922
metadata.teses.dc.contributor.advisor1: Kalsing, Vera Simone Schaefer
metadata.teses.dc.contributor.referee1: Oliveira, Maria de Lourdes Souza
metadata.teses.dc.contributor.referee2: Almeida, Helga do Nascimento de
metadata.teses.dc.subject: Equidade social
Igualdade de gênero
Dominação masculina
Naturalização dos processos socioculturais
Mulheres - Discriminação
Ciências agrárias
Social equity
Gender equality
Male domination
Naturalization of socio-cultural processes
Women - Discrimination
Agrarian Sciences
metadata.teses.dc.date.issued: 21-Jul-2020
metadata.teses.dc.identifier.citation: PAULA, F. C. A. de. A cultura patriarcal e a representatividade feminina: Um estudo sobre a inserção das mulheres em cursos de agrárias de uma universidade do Sul de Minas. 2020. 130 p. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável e Extensão) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2020.
metadata.teses.dc.description.resumo: Discutir o desenvolvimento sustentável, apenas sob a perspectiva ambiental e econômica dos recursos naturais, deixando de considerar aspectos sociais importantes, quais sejam: relações de equidade social e igualdade de oportunidades, garantias mínimas de acesso às necessidades próprias de todos os seres humanos, se faz superficial perante a proposta de sustentabilidade, democracia e participação. Partindo da relevância de um desenvolvimento que compreenda, sobretudo, as questões socioculturais, com essa pesquisa, busquei como questionamento orientador a seguinte indagação: De que maneiras a naturalização dos processos socioculturais de discriminação contra a mulher ocorre nos cursos de ciências agrárias da UFLA? A naturalização dos estereótipos profissionais interfere nas escolhas acadêmicas? Existem relações entre essa naturalização e o sistema patriarcal? Com o estudo, tive como principal finalidade investigar como se dão os processos de naturalização dos espaços de poder masculino e como interferem na inserção e atuação acadêmica das mulheres nos cursos de agrárias da UFLA. Com caráter específico, procurei: examinar o histórico de ingresso das mulheres que compõem a área de agrárias desta universidade, que se inseriram nas graduações de Engenharia Agrícola, Engenharia de Alimentos e Zootecnia, entre os anos de 2013 a 2017; evidenciar em quais destes cursos, tais mulheres se encontram em maior/menor representação quantitativa; verificar o que as orientou (as motivações) na escolha desses cursos; identificar os desafios enfrentados por elas no âmbito do ensino, pesquisa, extensão; averiguar e apresentar as estratégias mobilizadas por essas universitárias em prol da atuação acadêmica e posterior acesso ao mercado de trabalho. O percurso metodológico que utilizei se estrutura por meio de uma pesquisa descritiva com caráter misto, junto aos dados fornecidos pela Pró-Reitoria de Graduação (PRG) da UFLA, entre os anos de 2013 e 2017, a fim de se localizar em quais cursos da grande área de ciências agrárias as mulheres se encontram em maior e menor proporção, considerando também a sua tradição. Sucessivamente, realizei um estudo de caso com entrevistas semiestruturadas com as discentes matriculadas nos três cursos selecionados e que estão inseridas em grupos representativos como núcleos de estudos, pesquisa e extensão; Programa de Educação Tutorial (PET‟s); empresas juniores, e os respectivos coordenadores/as desses grupos, a fim de se compreender os objetivos propostos. Para isto, busquei delimitar uma amostra por conveniência, abrangendo os cursos selecionados no período temporal preestabelecido.
metadata.teses.dc.description.abstract: Discussing sustainable development, only from the environmental and economic perspective of natural resources, failing to consider important social aspects, namely: relations of social equity and equal opportunities, minimum guarantees of access to the needs of all human beings, it is done superficial with the proposal of sustainability, democracy and participation. Starting from the relevance of a development that mainly comprises socio-cultural issues, with this research, I sought as a guiding question the following question: In what ways does the naturalization of socio-cultural processes of discrimination against women occur in UFLA's agricultural science courses? Does the naturalization of professional stereotypes interfere with academic choices? Are there any relations between this naturalization and the patriarchal system? With the study, I had as main purpose to investigate how the processes of naturalization of spaces of male power take place and how they interfere in the insertion and academic performance of women in the agrarian courses at UFLA. With a specific character, I tried to: examine the history of entry of women who make up the agrarian area of this university, who were inserted in the degrees of Agricultural Engineering, Food Engineering and Zootechnics, between the years 2013 to 2017; evidence in which of these courses, such women are in greater / lesser quantitative representation; verify what guided them (the motivations) in choosing these courses; identify the challenges faced by them in the scope of teaching, research, extension; investigate and present the strategies mobilized by these university students in favor of academic performance and subsequent access to the job market. The methodological path that I used is structured through a mixed descriptive research, together with the data provided by UFLA's Pro-Rectory of Graduation (PRG), between the years 2013 and 2017, in order to locate in which courses of the large area of agrarian sciences, women are in a greater and lesser proportion, also considering their tradition. Subsequently, I carried out a case study with semi-structured interviews with the students enrolled in the three selected courses and who are inserted in representative groups such as study, research and extension centers; Tutorial Education Program (PET‟s); junior companies, and the respective coordinators of these groups, in order to understand the proposed objectives. For this, I tried to delimit a sample for convenience, covering the courses selected in the pre-established time period. Keywords: Gender. Male domination. Agrarian Sciences. Naturalization
metadata.teses.dc.identifier.uri: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/42064
metadata.teses.dc.publisher: Universidade Federal de Lavras
metadata.teses.dc.language: por
Appears in Collections:DAE - Desenvolvimento Sustentável e Extensão - Mestrado Profissional (Dissertações/TCC)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.