Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4488
Título: Biologia de Phytoseiulus macropilis (Banks, 1904) Acari: Phytoseiidae), controle biológico do ácaro-rajado em roseiras e seletividade de produtos fitossanitários a fitoseídeos
Título(s) alternativo(s): Biology of Phytoseiulus macropilis (Banks, 1904) (Acari: Phytoseiidae), biological control of two-spotted spider mite in roses and physiological selectivity of pesticides to phytoseiids
Autor : Souza-Pimentel, Giselle Christiane de
Primeiro orientador: Reis, Paulo Rebelles
Primeiro membro da banca: Santa-Cecília, Lenira Viana Costa
Carvalho, Lívia Mendes de
Zacarias, Mauricio Sergio
Carvalho, Geraldo Andrade de
Área de concentração: Entomologia
Palavras-chave: Acarologia agrícola
Rosa spp.
Tetranychus urticae
Neoseiulus californicus
Ácaro predador
Agricultural acarology
Predatory mites
Data da publicação: 27-Out-2014
Agência(s) de fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Referência: SOUZA-PIMENTEL, G. C. de. Biologia de Phytoseiulus macropilis (Banks, 1904) Acari: Phytoseiidae), controle biológico do ácaro-rajado em roseiras e seletividade de produtos fitossanitários a fitoseídeos. 2014. 100 p. Tese (Doutorado em Agronomia/Entomologia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014.
Resumo: The growing of roses (Rosa spp.) in greenhouses is beneficial both to the plant as the two-spotted spider mite, Tetranychus urticae Koch, 1836 (Tetranychidae), whose chemical control is still used. The consumer demand has encouraged research on the use of less aggressive agricultural practices, becoming biological control a viable option. The overall objective of this study was to study the biology of Phytoseiulus macropilis (Banks, 1904) and the biological control of two-spotted spider mite in rose by Phytoseiulus macropilis and Neoseiulus californicus (McGregor, 1954) (Phytoseiidae) isolated or in combination; the specifics: the study of biological aspects, the fertility life table, predatory activity, functional and numerical responses of P. macropilis and physiological selectivity of pesticides. In the laboratory, Petri dishes of 5 cm diameter and Jack-bean (Canavalia ensiformis (L.) DC. - Fabaceae) leaf discs of 3 cm in diameter were used. The duration in days of each development phase of P. macropilis was observed. For predatory activity 40 T. urticae and a predator were placed in the respective phases to be evaluated and counted after 24 hours the remaining. For the functional and numerical responses of P. macropilis were offered immature of T. urticae at densities from 1 to 300/arena. The number of prey consumed and eggs laid by the predator were evaluated every 24 hours during eight days. For selectivity the residual method was used and the obtained values were framed in classes from 1 to 4 according to IOBC/WPRS. Potted rosebushes in greenhouse were initially infested with 20 T. urticae female and after nine days two predatory mites / plant were released weekly during two months. The control was assessed by collecting two apical, median and basal leaflets/plant and counted the live mites number. The duration of the egg stage to adulthood of P. macropilis was 4.1 days for females and 5.1 for males; longevity of 27.5 days for females and 29 for males. The innate ability rate of population growth was 0.19 and the average length of generation 17.74 days. The population doubled every 3.71 days. The phases mite more consumed by P. macropilis was larvae and males. The functional response showed a positive and significant correlation suggesting a functional response type II. The maximum oviposition was 1.76 eggs/female/day at 23 T. urticae/cm2 density. In selectivity tests chlorfenapyr was harmful to N. californicus (Class 4); the other products tested were harmless or slightly harmful to both species. In greenhouse is no difference between treatments for biological control by predators or their association. It was concluded that both predatory mites, isolated or in combination, can be used to control of the two spotted spider mite in roses.
O cultivo de rosas (Rosa spp.) em casas de vegetação é favorável tanto à planta como ao ácaro-rajado, Tetranychus urticae Koch, 1836 (Tetranychidae), cujo controle químico ainda é utilizado. A exigência dos consumidores tem incentivado pesquisas com o uso de práticas agrícolas menos agressivas, tornando o controle biológico uma opção viável. O objetivo geral do trabalho foi estudar a biologia de Phytoseiulus macropilis (Banks, 1904) e o controle biológico do ácaro-rajado em roseira, por P. macropilis e Neoseiulus californicus (McGregor, 1954) (Phytoseiidae), isolados ou em associação; os específicos: o estudo dos aspectos biológicos, tabela de vida de fertilidade, atividade predatória, respostas funcional e numérica de P. macropilis e seletividade fisiológica de pesticidas. Em laboratório foram utilizadas placas de Petri de 5 cm de diâmetro e discos de folhas de feijão-de-porco (Canavalia ensiformis (L.) DC. - Fabaceae) de 3 cm de diâmetro. Foi observada a duração em dias de cada fase do desenvolvimento de P. macropilis. Para atividade predatória foram colocados 40 T. urticae e um predador, nas respectivas fases a serem avaliadas, e após 24h foram contados os ácaros remanescentes. Para respostas funcional e numérica de P. macropilis foram oferecidos imaturos de T. urticae nas densidades de 1 a 300/ arena. O número de presas consumidas, e de ovos colocados pelo predador foi avaliado a cada 24h durante oito dias. Para seletividade foi utilizado o método residual e os valores obtidos enquadrados nas classes de 1 a 4 conforme IOBC/WPRS. Em casa de vegetação foram utilizadas roseiras envasadas, inicialmente infestadas com 20 fêmeas do ácaro-rajado e após nove dias foram liberados dois predadores/planta, semanalmente durante dois meses. O controle foi avaliado pela coleta de dois folíolos apicais, medianos e basais/planta e contado o número de ácaros vivos. A duração da fase de ovo até a fase adulta de P. macropilis foi de 4,1 dias para fêmeas e 5,1 para machos; a longevidade de 27,5 dias para fêmeas e 29 para machos. A estimativa da capacidade inata de crescimento da população foi 0,19 e a duração média de geração de 17,74 dias. A população dobrou a cada 3,71 dias. As fases do ácaro mais consumidas por P. macropilis foram larvas e machos. A resposta funcional mostrou uma correlação positiva e significativa sugerindo uma resposta funcional do tipo II. A oviposição máxima foi de 1,76 ovos/fêmea/dia na densidade de 23 ácaros/cm2. Nos testes de seletividade chlorfenapyr foi altamente tóxico para N. californicus (classe 4), os demais produtos testados foram inócuos ou levemente nocivos para ambas as espécies. Em casa de vegetação não foi encontrada diferença entre tratamentos quanto ao controle biológico pelos predadores ou associação deles. Conclui-se que ambos os predadores, isolados ou em associação, podem ser utilizados para o controle do ácaro-rajado em roseiras.
metadata.teses.dc.description: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós- Graduação em Entomologia, para obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4488
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DEN - Entomologia - Doutorado (Teses)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.