Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4508
Título: Ácido benzoico para leitões na fase inicial: avaliação in vivo e ex vivo
Título(s) alternativo(s): Benzoic acid for piglets in incial fase: in vivo and ex vivo evaluation
Autor : Silveira, Hebert
Primeiro orientador: Cantarelli, Vinícius de Souza
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Abreu, Márvio Lobão Teixeira de
Zangeronimo, Mácio Gilberto
Primeiro membro da banca: Sousa, Raimundo Vicente de
Costa, Leandro Batista
Área de concentração: Produção e Nutrição de Monogástricos
Palavras-chave: Suíno
Ácido orgânico
Expressão gênica
Desempenho
Morfologia
Ácido graxo
Diarreia
Swine
Organic acid
Gene expression
Performance
Morphology
Fatty acids
Diarrhea
Data da publicação: 2014
Agência(s) de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Minas Gerais (FAPEMIG)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: SILVEIRA, H. Ácido benzoico para leitões na fase inicial: avaliação in vivo e ex vivo. 2014. 121 p. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2014.
Resumo: Dois experimentos foram realizados para avaliar os efeitos da utilização do ácido benzoico para leitões. No primeiro experimento objetivou-se determinar a expressão para os genes do transportador de glicose do tipo 2 (GLUT2), transportador de glicose dependente de Na+ do tipo1 (SGLT1), Fator nuclear kappa B (p65/RelA) e fator de crescimento semelhante à Insulina 1 (IGF-1) em um modelo ex-vivo durante a exposição do jejuno de leitões à L-glutamina, cultura de levedura, ácido benzoico e óleo essencial de orégano, utilizando a técnica de PCR em tempo real. A exposição do jejuno a L-glutamina, células de levedura e óleo essencial de orégano aumentaram a expressão do GLUT2 (P<0,001). A utilização de células de levedura e óleo essencial de orégano aumentaram a expressão de SGLT1 e o ácido benzoico reduziu a expressão de SGLT1 (P=0,0008). A exposição do jejuno à L-glutamina e células de levedura tiveram efeito no aumento da expressão da p65/RelA (P<0,001). A exposição do jejuno à células de levedura teve um efeito no aumento da expressão de IGF-1 (P<0,001). Dessa forma, o ácido benzoico não influenciou na expressão gênica no jejuno de leitões para GLUT2, IGF-1 e p65/RelA. Entretanto favoreceu a redução na expressão do SGLT1. No segundo experimento foram utilizados 224 leitões machos castrados (6,37±0,34Kg) desmamados aos 21 dias, em delineamento experimental em blocos casualizados, com esquema fatorial 4×2, sendo quatro níveis de ácido benzoico (0,00; 0,25; 0,50 e 0,75%), para os leitões inoculados ou não inoculados com E. coli, com sete repetições e quatro animais por baia. As variáveis avaliadas foram desempenho de leitões em fase de creche até a terminação, incidência de diarreia, pH dos segmentos intestinais, características morfológicas do intestino, produção de ácidos graxos voláteis no ceco e contagem de lactobacilli spp. e bifidobacterium no ceco. O ácido bezoico influenciou de forma cúbica o pH na porção terminal do íleo (P<0,05). Houve aumento linear (P<0,05) sobre a altura de vilosidade do íleo e redução linear na profundidade de cripta do íleo e cólon de leitões. No ceco foi observado aumento númerico para a produção de ácido butírico (P=0,0708). Houve redução linear (P<0,05) para a incidência de diarreia em resposta a suplementação do ácido benzoico. Entretanto, não foi observado efeito (P>0,05) sobre a contagem de Lactobacilli spp. e Bifidobacterium no ceco. Com isso, a utilização do ácido benzoico demonstrou efeito linear significativo sobre o peso vivo dos animais, ganho de peso médio diário, consumo de ração médio diário e conversão alimentar aos 63 dias de vida (P<0,05) e para o peso vivo e ganho de peso aos 147 dias (p<0,05). A dose de 0,75% apresenta melhor efeito sobre o, redução do índice de diarreia, melhoria das características morfológicas do intestino e consequentemente o desempenho de leitões na fase de creche até a terminação.
Two experiments were conducted to evaluate the effects of using benzoic acid for piglets. In the first experiment aimed to determine the expression for the genes of the glucose transporter type 2 (GLUT2), glucose transporter-dependent Na+ type 1 (SGLT1), Nuclear factor kappa B (p65/RelA) and-like growth factor to insulin 1 (IGF-1) in an ex-vivo model jejunum during exposure of piglets to L-glutamine, yeast culture, benzoic acid and oregano essential oil, using the technique of real time PCR. The exposure of the jejunum L-glutamine, yeast culture and oregano essential oil increased the expression of GLUT2 (P<0.001). The use of yeast cells and oregano essential oil increased the expression of SGLT1 and benzoic acid reduced the expression of SGLT1 (P=0.0008). The exposure of the jejunum to L-glutamine and yeast cells had no effect on increasing expression of p65/RelA (P<0.001). The exposure of the jejunum to the yeast cells had an effect on increasing of the expression IGF-1 (P<0.001). Thus, benzoic acid had no effect on gene expression in the jejunum of piglets for GLUT2, IGF-1 and p65/RelA. However, it favored the reduction in the expression of SGLT1. In the second experiment 224 barrows (6.37±0,34Kg) weaned at 21 days, in a randomized block design with 4 × 2 factorial design, with four levels of benzoic acid (0.00; 0.25; 0.50 and 0.75%) for piglets challenged or not challenged with E. coli were used, with seven replicates and four pigs per pen. The variables evaluated were the pigs in the nursery phase until termination, incidence of diarrhea, pH of the intestinal segments, morphological features of the intestine, production of volatile fatty acids in the cecum and counting of lactobacilli spp. and Bifidobacterium in the cecum. The benzoic acid influenced cubically the pH in the terminal portion of the ileum (P<0.05). There was a linearly increased (P<0.05) on the ileal villus height and linear decrease in crypt depth of the ileum and colon of piglets. In the cecum numerical increase for the butyric acid production (P=0.0708) was observed. There was a linear decrease (P<0.05) for the diarrhea incidence in response to benzoic acid supplementation. However, no effect (P>0.05) was observed on the count of Lactobacilli spp. and Bifidobacterium in the cecum. Thus, the benzoic acid use showed a significant linear effect on live weight, average daily weight gain, daily feed intake and feed conversion at 63 days of life (P<0.05) and for live weight and weight gain at 147 days (p<0.05). The dosage of 0.75% has a better effect on, reducing the diarrhea index, improvement in the morphological characteristics of the intestine and consequently the piglets performance at nursery phase until termination.
metadata.teses.dc.description: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, área de concentração em Produção e Nutrição de Monogástricos, para obtenção de título de “Doutor”.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4508
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_Ácido benzoico para leitões na fase inicial avaliação in vivo e ex vivo.pdf1,26 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.