Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/508
Título: Turnos de rega e doses de polímero hidrorretentor na formação de mudas de cafeeiro em tubetes e saquinhos
Autor : Franchement, Mukeshambala
Primeiro orientador: Guimarães, Rubens José
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Tavares, Gilmar
Primeiro membro da banca: Baliza, Danielle Pereira
Cunha, Rodrigo Luz da
Área de concentração: Produção Vegetal
Palavras-chave: Coffea arabica L.
Irrigação em viveiros
Economia de água
Irrigation in nurseries
Water economy
Data da publicação: 2013
Agência(s) de fomento: Universidade Livre dos Países dos Grandes Lagos, ULPGL
Referência: FRANCHEMENT, M. Turnos de rega e doses de polímero hidrorretentor na formação de mudas de cafeeiro em tubetes e saquinhos. 2012. 46 p. Dissertação (Mestrado em Grandes Culturas)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2012.
Resumo: Há consenso sobre a importância do processo de formação de mudas para o sucesso da lavoura, sendo importante a utilização de água de boa qualidade e em quantidades suficientes. A utilização de polímeros hidrorretentores capazes de absorver a água e, posteriormente liberar essa água de forma gradual, é uma alternativa para a produção de mudas de cafeeiro. Com objetivo de avaliar a eficiência do uso de diferentes turnos de rega e doses do polímero hidrorretentor em substratos na formação de mudas de cafeeiro em tubetes e saquinhos, foram instalados dois experimentos, um em mudas de saquinho e outro em mudas de tubetes, no Setor de Cafeicultura DAG/UFLA, em casa de vegetação coberta com filme de polietileno e sombrite de 50%, no período de outubro de 2011 a março 2012. Nos dois experimentos os delineamentos foram em blocos ao acaso e esquema de parcelas subdivididas, para análise de 6 (doses de polímero hidrorretentor hidratado nas sub parcelas) X 5 (níveis de irrigação nas parcelas) e 4 repetições. As 6 doses testadas foram: 0, 5, 10, 15, 20 e 25% do gel do polímero no volume do substrato (1500 g de polímero seco hidratados em 400 litros de água) tanto no experimento de saquinhos quanto no de tubetes. As irrigações das mudas em tubetes foram: Nível 1 : Irrigação duas vezes por dia (As 7 e 17 horas); Nível 2 : Irrigação todos dias, uma vez; Nível 3: 1 dia sem regar; Nível 4 : 2 dias sem regar; e Nível 5: 3 dias sem regar. Nas irrigações executadas uma vez por dia, as mudas foram regadas às 17 horas. No experimento em saquinhos de polietileno os níveis de irrigação foram: Nível 1 : todos dias(1 vez/dia) ; Nível 2: 1 dia sem regar; Nível 3: 2 dias sem regar; Nível 3 dias sem regar; e Nível 5 : 4 dias sem regar. Concluiu-se a aplicação do gel do polímero, no substrato padrão em mudas de saquinhos e no substrato comercial (Plantmax) em tubetes não tem efeito no crescimento das plantas. As irrigações de mudas em tubetes devem ser feitas preferencialmente duas vezes ao dia, na ausência de chuvas. As irrigações diárias em mudas de saquinhos podem prejudicar seu desenvolvimento.
There is a consensus on the importance of the seedling formation process for the success of the crop, with great importance in the use of good quality water and in the quantity of seeds used. The use of water retainer polymers capable of absorbing water and, subsequently releasing this water in a gradual manner, is an alternative for coffee plant seedling production. With the objective of evaluating the efficiency of the use of different watering periods and doses of the water retainer polymer in substrates in the formation of coffee plant seedlings in dibble tubes and small bags, two experiments were installed, one with seedlings in small bags and the other on the dibble tubes, in the Coffee Growing Sector DAG/UFLA, in a green house covered by polyethylene film and 50% shading screen, during the period of October 2011 to March 2012. Both experiments used a completely randomized block design with a subdivided parcel scheme, for the analysis of 6 (hydrated water retainer polymer doses in the sub parcels) x 5 (irrigation levels in the parcels) and 4 replicates. The 6 tested doses were: 0, 5, 10, 15, 20 and 25% of the polymer gel in the substrate volume (1500 g of dry polymer hydrated in 400 liters of water) in the experiment with the small bags as well as in the experiment with the dibble tubes. The irrigation of the dibble tube seedlings were: Level 1 – Irrigation twice a day (at 7 and 17 hours); Level 2 – Irrigation once every day; Level 3 – One day without watering; Level 4 – Two days without watering; Level 5 – Three days without watering. In the irrigations executed once a day, the seedlings were watered at 17 hours. In the experiment with the polyethylene bags, the levels of irrigation were: Level 1 – Every day (once a day); Level 2 – One day without watering; Level 3 – Two days without watering; Level 4 – Three days without watering; and Level 5 – Four days without watering. It was concluded that the application of the polymer gel in the standard substrate, in the bag seedlings, and in the commercial substrate (Plantmax), in the dibble tube seedlings, had no effect in the plants’ growth. The irrigation of the seedlings in the dibble tubes must be done, preferentially, twice a day, in the absence of rain. The irrigation of the seedlings in the bags may compromise their development.
metadata.teses.dc.description: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia, área de concentração em Produção Vegetal, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/508
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DAG - Agronomia/Fitotecnia - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.