Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/693
Título: Efeito das galhas na alocação reprodutiva e arquitetura de Solanum lycocarpum St. Hill. (Solanaceae)
Autor : Malves, Kira
Primeiro orientador: Coelho, Flávia de Freitas
Primeiro membro da banca: Vieira, Letícia Maria
Korasaki, Vanesca
Área de concentração: Ecologia e Conservação de Recursos Naturais em Ecossistemas Fragmentados e Agrossistemas
Palavras-chave: Inseto galhador
Cerrado
Herbivoria
Fruta-do-lobo
Flor
Galling insect
Herbivory
Flower
Data da publicação: 2013
Agência(s) de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES
Referência: MALVES, K. Efeito das galhas na alocação reprodutiva e arquitetura de Solanum lycocarpum St. Hill. (Solanaceae). 2013. 64 p. Dissertação (Mestrado em Ecologia Aplicada)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2013.
Resumo: Herbivory may cause several negative impacts on plants, such as hampering its growth and altering its resource allocation. Gall makers are an example of herbivores that use host plants to guarantee their own development. Just as other kinds of herbivory, galls may weaken their host plants by changing their architecture and altering their reproductive allocation. This work aimed at evaluating the influence of galls upon flower production and on the architecture of individuals of Solanum lycocarpum (SOLANACEAE), as well as comparing such influence to three stages of gall development: (Stage 1) formation, (Stage 2) when the gall stops growing and (Stage 3) when the gall maker becomes pupa within the galls. The research was made in an area of pasture, inside Cerrado, in Minas Gerais, in 2012. We selected and marked 120 individuals (which measured between 0.80m and 1.20m) out of which 60 had galls and 60 did not have any. The collection process was divided into three steps and in each step, 20 plants with galls and 20 individuals without galls were analyzed. The marked individuals had their flowers collected, in order to evaluate the following characteristics: total of flowers per individual, size and biomass of flowers in plants with and without galls. All the 120 individuals were measured, in order to compare the following characteristics: plant’s size, number of primary and secondary ramifications, size of primary and secondary ramifications in plants with and without galls. We counted the total of leaves and collected 10 leaves from each plant, totalizing 400 leaves per stage, in order to analyze the following characteristics: length, width, biomass, number of thorns on the central vein in leaves of plants with and without galls. Although flowers on this plant are produced during the whole year, galled individuals produce less. Furthermore, they were smaller-sized and showed less biomass in all stages. As for number, size of primary and secondary ramifications and number of thorns, the results were not significant in any stage of gall development, which means that there was no difference between these characteristics in plants with or without galls. However, the results for plant’s height, number of leaves produced by each plant, as well as the leaf’s width and biomass, were significant in all three stages. The results are consistent with the hypothesis that galls take a lot of energy from the plant, thus resulting in the alteration of allocation to form reproductive structures, as well as altering the allocation of nutrients and reducing some of the host plant’s vegetative structures.
A herbivoria pode causar vários impactos negativos nas plantas, como dificultar seu desenvolvimento e alterar a alocação de recursos. Insetos galhadores são exemplos de herbívoros, que utilizam as plantas hospedeiras para garantir seu desenvolvimento. Assim como outros tipos de herbivoria, as galhas podem enfraquecer as plantas hospedeiras, modificando a arquitetura e alterando a alocação reprodutiva. O objetivo com este trabalho foi avaliar a influêcia das galhas na produção de flores e na arquitetura de indivíduos de Solanum lycocarpum (SOLANACEAE), bem como comparar essa influência com três etapas de desenvolvimento das galhas: (Etapa 1) início de formação, (Etapa 2) quando a galha cessa seu crescimento e (Etapa 3) quando o inseto indutor se transforma em pupa dentro dela. O estudo foi realizado em 2012, em uma área característica de pastagem, dentro do bioma Cerrado, em Minas Gerais. Foram selecionadas e marcadas60 plantas com galhas e 60 sem galhas nessa área, totalizando 120 indivíduos, que mediam entre 0.80 e 1.20 metros. Dividiu-se as coletas em três etapas e, em cada uma delas, analisou-se 20 plantas com e 20 sem galhas. Coletou-se todas as flores dos indivíduos marcados, para comparar as seguintes características: número total de flores por indivíduo, tamanho e biomassa das flores em plantas com galhas e sem galhas. Foram medidos os 120 indivíduos com e sem galhas para comparar as seguintes características: altura da planta, número de ramificações primárias e secundárias, tamanho das ramificações primárias e secundárias em plantas com e sem galhas. Contou-seo número total de folhas e coletamos 10 folhas de cada um deles, totalizando 400 folhas por etapa, para analisar as seguintes características: comprimento, largura, biomassa e número de espinhos na nervura central das folhas em plantas com e sem galhas. Embora as flores nessa planta sejam produzidas o ano inteiro, indivíduos com galhas produziram menor número de flores. Além disso, elas foram menores e apresentaram menor biomassa em todas as etapas avaliadas. Os resultados para as variáveis número, tamanho de ramificações primárias e secundárias e número de espinhos na nervura central das folhas não foram significativos em nenhuma fase de desenvolvimento dessas galhas, indicando que não houve diferença entre essas características em plantas com e sem galhas. Já os resultados para as características altura da planta, número de folhas produzidas por indivíduo e comprimento, largura e biomassa dessas folhas foram significativos nessas três etapas. Os resultados são consistentes com a hipótese de que os custos energéticos da produção de galhas exercem grande despesa para essas plantas, resultando em alteração na alocação para formação de estruturas reprodutivas, assim como uma alteração na alocação de nutrientes e diminuição em algumas partes vegetativas da planta hospedeira.
metadata.teses.dc.description: Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Ecologia Aplicada, área de concentração em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais em Ecossistemas Fragmentados e Agrossistemas, para a obtenção do título de Mestre.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/693
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DBI - Ecologia Aplicada - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.