Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9397
Título: Toxicidade da clotianidina para a abelha africanizada Apis mellifera Linnaeus (Hymenoptera:Apidae)
Título(s) alternativo(s): Toxicity of clothianidin for Honey bee Africanized Apis mellifera Linnaeus (Hymenoptera: Apidae)
Autor : Souza, Jander Rodrigues de
Primeiro orientador: Carvalho, César Freire
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Carvalho, Stephan Malfitano
Primeiro membro da banca: Brighenti, Deodoro Magno
Carvalho, Geraldo Andrade
Guedes, Raul Narciso Carvalho
Silva, Rogério Antônio
Área de concentração: Entomologia
Palavras-chave: Abelha
Ecotoxicologia
Inseticida
Honey bee
Ecotoxicology
Insecticide
Data da publicação: 8-Mai-2015
Agência(s) de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Referência: SOUZA, J. R. de. Toxicidade da clotianidina para a abelha africanizada Apis mellifera Linnaeus (Hymenoptera:Apidae). 2015. 139 p. Tese (Doutorado em Agronomia/Entomologia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.
Resumo: As abelhas do gênero Apis são insetos de extrema importância, seja pela produção de produtos apícolas ou pelo serviço de polinização prestado. Contudo, nos cultivos agrícolas a utilização dos produtos fitossanitários por agricultores não afetam apenas os organismos alvo, mas expõem insetos benéficos, dentre os quais as abelhas. Deste modo, objetivo do trabalho foi determinar a dose letal 50 (DL50) da clotianidina para Apis mellifera e avaliar alguns efeitos subletais. Para determinar a DL50, foram aplicadas diferentes concentrações de clotianidina no tórax das abelhas, sendo obtido o resultado de 6,67 ng/µL. Posteriormente a determinação da DL50 realizou-se experimentos para avaliar os possíveis efeitos das doses subletais, utilizando as doses equivalentes a DL50/400 e a DL50/20, além da DL50 para A. mellifera, o tratamento controle foi utilizado apenas acetona. Abelhas campeiras foram expostas a três formas de contaminação: aplicação oral aguda, superfície contaminada e tópica aguda. Também foi avaliado o reflexo da extensão da probóscida de abelhas campeiras contaminadas com a DL50, DL50/400 e a DL50/20 do inseticida. Em outro bioensaio, os insetos foram contaminados com a DL50, DL50/20 e DL50/400 da clotianidina e foi avaliado a atividade das enzimas acetilcolinesterase, carboxilesterase, fosfatase alcalina e glutationa-s-transferase para lavras de terceiro e quarto ínstares e adultos de A. mellifera por meio da absorbância no leitor de placas. Independente da forma de exposição das abelhas, clotianidina reduziu a longevidade dos insetos, da mesma forma que afetou negativamente a resposta da extensão da probóscida. Ao avaliar a atividade das enzimas acetilcolinesterase, carboxilesterase, fosfatase alcalina e glutationa S-transferase em insetos expostos a clotianidina, observou-se alterações resultantes da presença do inseticida. A clotianidina demonstrou ser tóxica para A. mellifera quando avaliados aspectos biológicos, bioquímicos e comportamentais. Novos estudos devem ser realizados para confirmação da toxicidade da clotianidina para A. mellifera africanizada.
Bees belonging the genus Apis are extremely important either for their hive products or by providing the pollination service. However, in agricultural fields, the use of pesticides affects not only the target organisms but expose the beneficial insects as for example bees. Thus, the objective of this study was to determine the acute toxicity (LD50) of clothianidin to Apis mellifera L., 1758 and assess its sublethal effects. The LD50 was obtained by topical application of clothianidin at different concentrations on bee thorax, being the value estimated of 6.67 ng/bee. Afterward, experiments were done to evaluate the possible effects of the sublethal doses equivalent to 1/400 and 1/20 of the LD50 and acetone for the control. For the survival assay, three ways of bee contaminations were assessed: topical, oral and contaminated surface. Was also assessed the Proboscis extension reflex as measure to detect any impairment of the cognition ability of bees intoxicated with clothianidin. In another bioassay, insects were exposed to the different doses of clothianidin and the activity of the enzymes acetylcholinesterase, carboxylesterase, alkaline phosphatase and glutathione-s-transferase, were assessed for third and fourth instars of larva and for the adult of A. mellifera. Independent of the exposure of bees, clothianidin reduced the longevity of insects and in parts affects negatively the Proboscis extension reflex test. From the study with enzymes, the activities of acetylcholinesterase, alkaline phosphatase, carboxylesterase and glutathione S-transferase in insects exposed to clothianidin, observed changes resulting from the presence of the insecticide. The clothianidin was toxic to A. mellifera when evaluated using biological, biochemical and behavioral approaches. However, new studies should be performed to confirm the toxicity of clothianidin to A. mellifera Africanized using high tier levels.
metadata.teses.dc.description: Tese apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Entomologia, área de concentração em Entomologia, para a obtenção do título de Doutor.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9397
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DEN - Entomologia - Doutorado (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE_Toxicidade da clotianidina para a abelha africanizada Apis mellifera Linnaeus (HymenopteraApidae).pdf1,45 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.