Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3344
Título: Consumo de café cafeinado e descafeinado por indivíduos adultos: parâmetros bioquímicos, fisiológicos, físicos e antropométricos
Autor : Oliveira, Roseane Maria Evangelista
Primeiro orientador: Pimenta, Carlos José
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Chalfoun, Sara Maria
Primeiro membro da banca: Pimenta, Maria Emilia de Sousa Gomes
Goulart, Patrícia de Fátima Pereira
Palavras-chave: Café - Consumo alimentar
Alimentos - Análise
Café - Valor nutritivo
Teste de esforço
Data da publicação: 29-Ago-2014
Referência: OLIVEIRA, R. M. E. Consumo de café cafeinado e descafeinado por indivíduos adultos: parâmetros bioquímicos, fisiológicos, físicos e antropométricos. 2009. 103 p. Dissertação (Mestrado em Ciência dos Alimentos)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2009.
Resumo: O café na atualidade vem sendo reconhecido como benéfico à saúde humana, por agir como estimulador em várias partes do organismo, sendo considerada uma planta funcional nutracêutica. Dessa forma, nesta pesquisa, objetivou-se estudar os efeitos do consumo de café cafeinado e descafeinado, sobre a saúde de indivíduos adultos, ativos e sedentários, avaliando parâmetros clínicos, ergométricos, antropométricos e suas características como alimento funcional. Para tanto, foram envolvidos 48 indivíduos, os quais foram separados em grupos de acordo com as faixas etárias 20 a 29, 30 a 39 e 40 a 50 anos, em ativos e sedentários e tipo de consumo da bebida cafeinada ou descafeinada. Após a formação dos grupos, foram orientados sobre a forma de preparar a bebida do café e a quantidade a ser consumida ao dia por um período de seis meses. Os exames clínicos, físicos e antropométricos foram realizados no início e após os seis meses de dieta. Pelos resultados, verificou-se que: o nível de glicose não foi alterado. Houve redução nos níveis de colesterol total, colesterol da HDL e da LDL, ácido úrico, plaquetas e hematócritos e aumento nos leucócitos independente do tipo de café consumido, faixa etária e atividade física. Houve aumento no tempo da duração da prova, distância percorrida, VO2, no equivalente metabólico (MET) e da pressão arterial sistólica (PAS), com o consumo do café descafeinado, e houve redução da pressão arterial sistólica, frequência cardíaca (FC) quando do consumo do café cafeinado. O consumo de café, cafeinado e descafeinado, promoveu melhoria ou não interferiu nos parâmetros avaliados: exames laboratoriais, medidas antropométricas e no teste ergométrico, evidenciando que a cafeína não é o componente responsável pelas alterações ocorridas e que o café apresenta características que permitem o seu enquadramento como alimento funcional. Termos para Indexação: Alimento funcional. Teste de esforço. Análises clínicas.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3344
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DCA - Ciência dos Alimentos - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.