Buscar

 

RI UFLA (Universidade Federal de Lavras) >
DZO - Departamento de Zootecnia >
DZO - Programa de Pós-graduação >
DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações) >

Por favor, utilize esse identificador para citar este item ou usar como link: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3630

Título: Uso de complexo enzimático em rações fareladas e peletizadas para frangos de corte
Título Alternativo: Use of enzyme complex in mash and pelleted diets for broiler chickens
Autor(es): Souza, Renata Mara de
Orientador: Bertechini, Antônio Gilberto
Membro da banca: Fassani, Édison José
Rodrigues, Paulo Borges
Filho, José Cleto da Silva
Área de concentração: Nutrição de monogástricos
Assunto: Frango
Ração
Complexo enzimático
Peletização
Morfometria
Broiler chickens
Enzyme complex
Pelletization
Morphometry
Mash
Data de Defesa: 1-Ago-2005
Data de publicação: 9-Set-2014
Referência: SOUZA, R. M. de. Uso de complexo enzimático em rações fareladas e peletizadas para frangos de corte. 2005. 59 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2005.
Resumo: Dois experimentos foram conduzidos para avaliar os efeitos da suplementação enzimática em rações de frangos de corte à base de milho e farelo de soja sob duas formas físicas (farelada e peletizada) sobre desempenho, características de carcaça, morfometria intestinal e digestibilidade dos nutrientes. Os tratamentos constituíram-se de rações à base de milho e farelo de soja sem adição de enzimas ou com 200 ou 400 g de enzimas por tonelada de ração e em duas formas físicas (farelada e peletizada). Dois tratamentos adicionais foram constituídos da ração basal com energias do milho e farelo de soja valorados em 2 e 9%, respectivamente, e digestibilidade de aminoácidos em 4% para ambos ingredientes. Foram avaliados dois períodos, um de 1 a 21 dias e outro de 1 a 42 dias de idade das aves. O consumo de ração diminuiu de maneira linear (P<0,05) com o aumento dos níveis de suplementação nos dois períodos avaliados. A ração peletizada proporcionou melhor ganho de peso no período de 1 a 21 dias (P<0,05). Houve interação significativa (P<0,05) entre suplementação e forma física para o ganho de peso no período de 1 a 42 dias. A ração peletizada sem enzima foi a que proporcionou melhor ganho de peso (P<0,05). Houve aumento linear (P<0,05) no ganho de peso no período de 1 a 42 dias nas aves alimentadas com os diferentes níveis de enzimas. A suplementação enzimática proporcionou melhoria na conversão alimentar no período de 1 a 21 dias (P<0,05). De 1 a 42 dias houve interação significativa (P<0,01) entre nível de suplementação e forma física, sendo a ração peletizada sem adição de enzimas a que proporcionou melhor conversão alimentar (P<0,05). Ocorreu melhoria linear (P<0,05) na conversão alimentar nos dois períodos avaliados com o aumento dos níveis de suplementação. A forma física da ração influenciou o rendimento de caraça, o qual foi maior nas aves alimentadas com ração peletizada. O teor de gordura abdominal aumentou linearmente com o aumento dos níveis de suplementação (P<0,05). Ocorreram efeitos lineares para altura de vilosidade e profundidade de cripta (P<0,05) com o aumento dos níveis de suplementação. A altura de vilosidade aumentou linearmente (P<0,05) e a profundidade de cripta diminuiu (P<0,05) de forma linear. Ocorreu um aumento linear na energia metabolizável verdadeira (EMV) das rações à medida que se aumentou o nível de suplementação enzimática (P<0,05). Os contrastes feitos entre os tratamentos com rações basais normais versus as valoradas não apresentaram diferenças significativas (P>0,05). Conclui-se que a suplementação enzimática, em ração a base de milho e farelo de soja melhorou o desempenho dos frangos de corte e a energia metabolizável verdadeira das rações. A estabilidade do complexo enzimático em rações peletizadas é influenciada pelo processo de peletização. O aumento das vilosidades e a diminuição da profundidade de cripta no jejuno das aves favoreceram a melhoria da digestibilidade dos nutrientes. As energias metabolizáveis do milho e do farelo de soja podem ser valoradas em 2 e 9%, respectivamente, e a digestibilidade de aminoácidos, em 4%, sem afetar o desempenho.
Two experiments were conducted to evaluate the effects of enzyme supplementation in broilers chicken diets based on corn and soybeans in two physical forms (mash and pelleted) on performance, carcass characteristics, intestinal morphometry and nutrient digestibility. The treatments consisted of corn-and soybean-based diets without addition of enzymes or with 200 or 400 g of enzymes per ton of diet in two physical forms (mash and pelleted). Two additional treatments were constituted of the basal diet with energies of corn and soybean improved by 2 and 9 % respectively and digestibility of amino acids by 4% for both ingredients. Two periods were evaluated, one of 1 to 21 days and the other of 22 to 42of age of the birds. Feed intake decreased in a linear manner (P<0.05) with increasing levels of supplementation in the two periods evaluated. The pelleted diet provided best weight gain in the periods of 1 to 21 days (P<0.05). There was a significant interaction (P<0.05) between supplementation and physical form for weight gain in the period of 1 to 42 days. The pelleted diet without any enzyme was the one which provided better weight gain (P<0.05). There was a linear effect (P<0.05) in weight gain in the 1 to 42 in the fed different levels of enzymes. Enzyme supplementation provided improvement in feed conversion in the period of 1-21 days (P<0.05). From 1 to 42 days, there was a significant interaction (P<0.01) between level of supplementation and physical form, the mash diet without the addition of enzymes being the one which provided best feed conversion (P<0.05). Linear improvement (P<0.05) in feed conversion in the two periods evaluated with increase of the levels of supplementation. The content of animal fat increased linearly with the increase of the levels of supplementation. Linear effects occurred for villus height and crypt depth (P<0.05) with the increase of the levels of supplementation. Villus height increased (P<0.05) and crypt depth decreased (P<0.05) in a linear form. A linear increase occurred in true metabolizable energy (TME) of the diets as the level of enzyme supplementation (P<0.05) was increased. The contrasts done among the treatments with normal basal versus the improved diets showed no significant differences (P>0.05). It follows that enzyme supplementation in diets based on corn and soybean meal improved broiler chickens´ performance and the true metabolizable energy of the diets. The stability the enzyme complex in pelleted diets is influenced by the pelleting process. The increase of the villi and decrease of the crypt depth in the birds´ jejune favored the improved digestibility of nutrients. The true metabolizable energy of corn and soybean meal may be improved by 2 and 9 % and aminoacid digestibility by 4% without affecting performance.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3630
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções: DZO - Zootecnia - Mestrado (Dissertações)

Arquivos neste Item:

Arquivo Descrição TamanhoFormato
DISSERTAÇÃO_Uso de complexo enzimático em rações fareladas e peletizadas para frangos de corte.pdf311,56 kBAdobe PDFVer/abrir

Itens protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, Salvo indicação em contrário.


Mostrar estatísticas

 


DSpace Software Copyright © 2002-2007 MIT and Hewlett-Packard - Feedback