Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10538
Título : Atividade antioxidante in vitro e in vivo de café bebida mole
Título(s) alternativo(s): In vitro and in vivo antioxidant activity of soft coffee
Autor: Abrahão, Sheila Andrade
Pereira, Rosemary Gualberto Fonseca Alvarenga
Sousa, Raimundo Vicente de
Lima, Adriene Ribeiro
Palavras-chave: Coffea arabica
Diabetes mellitus tipo 2
Peroxidação lipídica
Radicais livres
Publicador: Embrapa Informação Tecnológica
Data da publicação: 14-Dez-2011
Referência: ABRAHÃO, S. A. et al. Atividade antioxidante in vitro e in vivo de café bebida mole. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 47, n. 1, p. 127-133, jan. 2012.
Resumo : O objetivo deste trabalho foi determinar a atividade antioxidante do café, bebida mole, in vivo e in vitro, antes e após a torração. Para a análise da atividade antioxidante in vitro, foram utilizados os métodos de sequestro de radicais livres (DPPH) e de atividade quelante de íons Fe 2+ . Foram utilizados, para o ensaio in vivo, ratos Zucker diabéticos, portadores de síndrome metabólica, e ratos Zucker controle. Os animais receberam doses diárias das bebidas de café, por gavagem, por 30 dias. Após o tratamento, foi realizada a avaliação de peroxidação lipídica. As amostras torradas apresentaram a maior percentagem de sequestro de radicais livres. As concentrações nas amostras de café verde e torrado foram similares às do padrão Trolox. Das amostras torradas, a torração média se destacou com maior atividade quelante de íons Fe 2+ . Os cafés verdes mostraram maior poder quelante do que os torrados. Compostos presentes no extrato diminuíram a lipoperoxidação hepática e renal que é comum em casos de diabetes e síndrome metabólica. O café apresenta atividade antioxidante e protege o fígado e os rins dos animais contra a lipoperoxidação comumente presente em quadros de diabetes mellitus tipo 2 e síndrome metabólica.
Abstract: The objective of this work was to determine the in vivo and in vitro antioxidant activity of soft coffee beverages, before and after roasting. For the analysis of the antioxidant activity, the methods of free radical sequestration (DPPH) and of the chelating activity of Fe 2+ ions were used. In vivo tests were performed with diabetic Zucker rats with metabolic syndrome and control Zucker rats. The animals received daily doses of coffee drinks by gavage for 30 days. After treatment, lipid peroxidation was evaluated. Roasted coffee samples had the highest percentage of free radical sequestration. Concentration in both green and roasted coffee samples was similar to that of the Trolox standard. From the roasted samples, medium roast stood out with greater Fe 2+ ion chelating activity. Green coffees showed higher quelating power than the roasted ones. The compounds in the extract decreased the lipid peroxidation in the liver and kidney which is common in cases of diabetes and metabolic syndrome. Coffee has an antioxidant activity and protects the liver and kidneys of animals from lipid peroxidation commonly present in type 2 diabetes mellitus and metabolic syndrome.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/10538
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DCA - Artigos publicados em periódicos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTIGO_Atividade antioxidante in vitro e in vivo de café bebida mole..pdf384,21 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons