Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/15607
metadata.artigo.dc.title: Otimização do processo de extração e caracterização química de pectina de cenoura
metadata.artigo.dc.creator: Fernandes, Regiane Victória de Barros
Mendes, Fabrícia Queiroz
Botrel, Diego Alvarenga
Cunha, Marília Crivelari da
metadata.artigo.dc.subject: Daucus carota L.
Metodologia de superfície de resposta
Polissacarídeo
metadata.artigo.dc.publisher: Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Centro de Ciências Agrárias Ambientais e Biológicas
metadata.artigo.dc.date.issued: 2014
metadata.artigo.dc.identifier.citation: FERNANDES, R. V. de B. et al. Otimização do processo de extração e caracterização química de pectina de cenoura. Magistra, Cruz das Almas, v. 26, n. 2, 2014.
metadata.artigo.dc.description.resumo: Estudos de extração de pectina utilizando cenoura podem contribuir para um melhor aproveitamento desta olerícola. O objetivo deste trabalho foi caracterizar bromatologicamente a farinha de cenoura, avaliar e otimizar o processo de extração de pectina de cenoura utilizando ácido cítrico como agente extrator em diferentes tempos e valores de pH e determinar o grau de esterificação. A cenoura ralada foi seca em estufa (60°C/24 horas) e, após a secagem, moída para obtenção da farinha. A partir desta farinha determinaram-se os teores de umidade, extrato etéreo, teor de proteínas, fibras e cinzas e foram realizados os testes de extração para otimização do processo. Foi empregado o delineamento composto central rotacional (DCCR) com duas variáveis independentes: pH e tempo de extração. A cenoura apresentou um rendimento de 13,18% em farinha. A farinha obtida apresentou em média, 9,8% de umidade, 11,67% de proteínas, 8,52% de extrato etéreo, 5,57% de fibras e 2,05% de cinzas. O modelo de regressão representou significativamente (p<0,05) a relação entre as variáveis independentes e a resposta (rendimento), com R2=0,93. O maior rendimento observado (14,73%) foi obtido em pH 1,5 e tempo de extração de 180 minutos. O grau de esterificação da pectina observado para a farinha de cenoura foi 27,05%, considerado de baixo grau de esterificação. A pectina extraída da cenoura pode, por exemplo, ser utilizada como aditivo em bebidas com a finalidade de aumentar o teor de fibras destes produtos sem, contudo, alterar significativamente a viscosidade.
metadata.artigo.dc.identifier.uri: https://magistraonline.ufrb.edu.br/index.php/magistra/article/view/445
repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/15607
metadata.artigo.dc.language: pt_BR
Appears in Collections:DCA - Artigos publicados em periódicos

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.