Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3898
Título: Redução dos níveis de proteína e fósforo em rações com fitase para frangos de corte desempenho,digestibilidade e excreção de nutrientes
Título(s) alternativo(s): Reduction of the protein and phosphorus levels in diets with phytase for broilers: performance, digestibility and excretion of nutrients
Autor : Silva, Yolanda Lopes da
Primeiro orientador: Rodrigues, Paulo Borges
Primeiro membro da banca: Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
Sousa, Raimundo Vicente de
Fassani, Édison José
Bertechini, Antônio Gilberto
Fialho, Elias Tadeu
Área de concentração: Nutrição de Monogástricos
Palavras-chave: Frango de corte
Nutrição animal
Fitase
Proteína bruta
Nutrição de monogástrico
Phytase
Monogastric nutrition
Broilers
Data da publicação: 23-Set-2014
Referência: SILVA, Y. L. da. Redução dos níveis de proteína e fósforo em rações com fitase para frangos de corte desempenho, digestibilidade e excreção de nutrientes. 2004. 210 p. Tese (Doutorado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2004.
Resumo: Experiments were conducted in the Poultry Farming Sector at the Animal Science Department of the Federal University of Lavras, to evaluate the effect of the reduction of the levels of crude protein (CP) and available phosphorus(AP) in broilers diets with phytase on the performance, carcass traits, pollutant excretion, nutrient digestibility and energetic values of the diets. The experimental design of the performance trials was in randomized blocks in 3 x 3 + 1 factorial scheme, they being three levels of CP (15%, 17% and 19%) and three levels of AP (0.25%; 0.34% and 0.45%) over the period of 1 to 21 days (phase 1) and levels of 14%, 16% and 18% of CP and of 0.20%; 0.30% and 0.40% of AP of 22 to 42 days old (phase 2) and control diet with nutritional levels recommended by Brazilian researchers. In the diets with reduced levels of AP were added 500 FTU of phytase and Ca content was reduced by 17% for phase 1 and 20% for phase 2. In the growth trials, performance and the contents of nitrogen (N), calcium (Ca), phosphorus (P), potassium (K), copper (Cu), zinc (Zn) in the litter and carcass traits were evaluated In the metabolism trials, the values of apparent metabolizable energy corrected by nitrogen balance (EMAn) and the digestibility coefficients of dry matter (CDMS), feed intake, excretion and retention coefficient of N, P, Ca, K, Cu and Zn of the diets. For the initial phase, the worst performance results were obtained by the birds fed the diets, containing 15% of CP and 0.25% of AP. The levels of CP and AP of the diet influenced significantly (P<0.05) the contents of P, Ca, Zn, Cu and K in the litter, but they had no significant effect upon nitrogen contents. The diets with contents of CP of 155 and 17%, supplemented with synthetic amino acids, presented EMAn values superior to that of the control diet. It was found that reduced CP contents improved the DC of DM. Concerning intake, excretion and retention coefficient of P, N and Ca, it was observed that there were significant differences (P<0.05) among the diets with reduced levels of CP and AP and control diet. K intake of the broilers fed the control diet was superior to that of the diets with CP contents of 15 and 17% at the different levels of AP and diet with 19% of CP and 0.45% of AP without phytase. There was no significant difference for K retention coefficient among the diets. Less Cu intake was verified for the broilers fed diets with reduced CP and AP. Reduction in the contents of CP and supplementation of diets with phytase reduced excretion and improved Cu retention. There was a reduction in intake and excretion of Zn for the broilers fed diets with reduced CP and AP, regardless of the phytase supplementation. The retention coefficients of the diets with 0.45% of aP without phytase , in all the levels of CP, were similar (P>0.05) to the control diet, which was superior to those of the other diets. For the 22- 42 day old phase, the lower performance results were obtained by the broilers fed diet containing 14% of CP and 0.20% of AP, supplemented with synthetic aminoacids and phytase. P contents in the bedding were smaller for the birds which consumed the diets with reduced CP and AP. Ca content in the litter was smaller for the birds consuming the diets with 16% of CP in the different levels of AP than for those fed the control diet. No significant differences were found among the diets for the contents of N, Zn and Cu in the litter. There was no effect of the levels of CP and aP of the diet on carcass and cutting yield, but there was a effect of the level of CP of the diet on abdominal fat percentage. The diets with reduced levels of CP shown higher values of EMAn. Improvement in CDMS was observed for the diet with 14% of CP. The intake and excretion of P, Ca and N of the diets with reduced contents of CP supplemented or not with phytase, were smaller than those fed the control diet. The retention coefficient of P and Ca of the diet with 14% of CP and 0.20% of AP + phytase was superior to that of the control diet. N retention by the broilers fed diet with 14% of CP in all the levels of AP was higher than the retention of the control diet. There was reduction in intake and excretion of K (P<0.05) by the broilers fed diets with reduced CP and AP. The broilers fed diets with 14% of CP at the different levels of AP and the diets with 18% of CP at the levels of AP 0.30% + phytase and 0.40% without phytase shown less intake of Cu than those fed the control diet. No significant differences were observed (P>0.05) in the excretion of the control diets with reduced CP and AP and those consuming the control diet. Cu retention coefficient of the diets with 14% of CP at the three levels of AP was inferior to that of the control diet. Zn intake of the broilers fed diets with 18% of CP and 0.20% of AP + phytase and diet with 16% of CP + 0.40% of AP without phytase was equal to that of the control diet. The excretion of Zn of the broilers fed diets with 14% of CP, independent of phytase and diets with 0.30% of AP and different levels of CP, was smaller than those fed control diet. No significant difference (P<0.05) was found for zinc retention coefficient among the diets with reduced CP and AP, supplemented with aminoacids and phytase and the control diet. For the initial phase ( 1 to 21 days old ) , it was conclude that the contents of crude protein of broiler diets should be reduced to 17% and 19% and the content of available phosphorus to 0.34%, since that diets be supplemented with aminoacids and phytase. At those levels of crude protein and available phosphorus shown reduction in the environmental impact due to the reduction in the contents of P, Ca, Cu and Zn in the litter. Reduction in the levels of CP and AP to 17% and 0.34%, respectively, in diets with phytase for broilers at the initial phase (1 to 21 days old) , also improved the EMAn values and dry matter digestibility. Thus, it is possible to reduce the excretion of nitrogen, phosphorus, copper and zinc. Use of synthetic aminoacids and phytase in the diet for 22 to 42 days old broilers, enabled to reduce the levels of crude protein, available phosphorus and calcium to 14.0%; 0.30% and 0.70%, without affecting the broilers performance. Use of those levels in the diets, supplemented with synthetic aminoacids and phytase, reduced the phosphorus contents in the litter, on average, 33.92% and zinc by 14.81%. Reduction in the contents of crude protein and available phosphorus improved the values of apparent metabolizable energy, dry matter digestibility and reduced the excretion of nitrogen, phosphorus and zinc, when associated with phytase supplementation.
Experimentos foram conduzidos no Setor de Avicultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras, para avaliar o efeito da redução dos níveis de proteína bruta (PB) e fósforo disponível (Pd) em rações com fitase para frangos de corte, sobre o desempenho, características de carcaça, excreção de poluentes, digestibilidade de nutrientes e valores energéticos das rações. O delineamento experimental dos ensaios de desempenho foi em blocos casualizados em esquema fatorial 3 x 3 + 1, sendo três níveis de PB (15%, 17% e 19%) e três níveis de Pd (0,25%; 0,34% e 0,45%) no período de 1 a 21 dias (fase 1) e níveis de 14%, 16% e 18% de PB e de 0,20%; 0,30% e 0,40% de Pd de 22 a 42 dias de idade (fase 2) e ração controle com níveis nutricionais recomendados por pesquisadores brasileiros. Nas rações com níveis reduzidos de Pd foram adicionadas 500 FTU de fitase e reduziu-se em 17% o teor de Ca para a fase 1 e 20% para a fase 2. Avaliaram-se nos ensaios de crescimento o desempenho e os teores de nitrogênio (N), cálcio (Ca), fósforo (P), potássio (K), cobre (Cu), zinco (Zn) na cama e características de carcaça. Nos ensaios de metabolismo foram determinados os valores de energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio (EMAn) e os coeficientes de digestibilidade da matéria seca (CDMS), consumo, excreção e coeficiente de retenção de N, P, Ca, K, Cu e Zn das rações. Para a fase inicial, os piores resultados de desempenho foram obtidos pelas aves alimentadas com as rações, contendo 15% de PB e 0,25% de Pd. Os níveis de PB e Pd da ração ifluenciaram significativamente (P<0,05) os teores de P, Ca, Zn, Cu e K na cama, mas não tiveram efeito signifcativo sobre os teores de nitrogênio. As rações com teores de PB de 15% e 17%, suplementadas com aminoácidos sintéticos, apresentaram valores de EMAn superiores ao da ração controle. Constatou-se que a redução dos teores de PB melhorou o CD da MS. Com relação ao consumo, excreção e coeficiente de retenção do P, N e Ca, constatou-se que houve diferenças significativas (P<0,05) entre as rações com níveis reduzidos de PB e Pd e ração controle. O consumo de K das aves alimentadas com a ração controle foi superior ao das rações com teores de PB de 15% e 17% nos diferentes níveis de Pd e ração com 19% de PB e 0,45% de Pd sem fitase. Não houve diferença siginificativa para o coeficiente de retenção de K entre as rações. Verificou-se menor consumo de Cu para as aves que receberam as rações com PB e Pd reduzidos. A redução dos teores de PB e suplementação das rações com fitase reduziu a excreção e melhorou a retenção de Cu. Houve redução no consumo e excreção de Zn para as aves que consumiram as rações com PB e Pd reduzidos, independente da suplementação com fitase. Os coeficientes de retenção das rações com 0,45% de Pd sem fitase, em todos os níveis de PB, foram iguais (P>0,05) ao da ração controle, que foi superior aos das demais rações. Para a fase de 22 a 42 dias de idade, os piores resultados de desempenho foram obtidos pelas aves alimentadas com ração contendo 14% de PB e 0,20% de Pd, suplementadas com aminoácidos sintéticos e fitase. Os teores de P na cama foram menores para as aves que consumiram as rações com PB e Pd reduzidos. O teor de Ca na cama foi menor para aves que consumiram as rações com 16% de PB nos diferentes níveis de Pd do que para aquelas que consumiram a ração controle. Não constataram-se diferenças significativas entre as rações para os teores de N, Zn e Cu na cama. Não houve efeito dos níveis de PB e Pd da ração sobre o rendimento de carcaça e de cortes, mas houve efeito do nível de PB da ração sobre a porcentagem de gordura abdominal. As rações com níveis reduzidos de PB apresentaram valores mais elevados de EMAn. Observou-se melhora no CDMS para a ração com 14% de PB. O consumo e a excreção de P, Ca e N das rações com teores de PB reduzidos suplementadas ou não com fitase, foram menores do que o consumo da ração controle. O coeficiente de retenção do P e Ca da ração com 14% de PB e 0,20% de Pd + fitase foi superior ao da ração controle. A retenção de nitrogênio pelas aves que consumiram a ração com 14% de PB em todos os níveis de Pd foi superior à retenção da ração controle. Houve redução no consumo e excreção de K (P<0,05) pelas aves que receberam as rações com PB e Pd reduzidos. As aves que consumiram as rações com 14% de PB nos diferentes níveis de Pd e a rações com 18% de PB nos níveis de Pd de 0,30% + fitase e 0,40% sem fitase apresentaram menor consumo de Cu do que aquelas que foram alimentadas com a ração controle. Não se observaram diferenças (P>0,05) na excreção de Cu para as aves que consumiram as rações com PB e Pd reduzidos e aquelas que consumiram a ração controle. O coeficiente de retenção do Cu das rações com 14% de PB nos três níveis de Pd foi inferior ao da ração controle. O consumo de Zn das aves que receberam as rações com 18% de PB e 0,20% de Pd + fitase e ração com 16% de PB + 0,40% de Pd sem fitase foi igual ao da ração controle. A excreção de Zn das aves que receberam as rações com 14% de PB, independente da suplementação de fitase e rações com 0,30% de Pd e diferentes níveis de PB, foi menor do que a excreção daquelas que consumiram a ração controle. Não observou-se diferença significativa (P<0,05) para o coeficiente de retenção do zinco entre as rações com PB e Pd reduzidos, suplementadas com aminoácidos e fitase e a ração controle. Para a fase inicial, concluiu-se que os teores de proteína bruta das rações para frangos de corte podem ser reduzidos para 17% e 19% e o teor de fósforo disponível para 0,34%, desde que as rações sejam suplementadas com aminoácidos e fitase. Nesses níveis de proteína bruta e de fósforo disponível ocorreu redução no impacto ambiental devido à redução nos terores de P, Ca, Cu e Zn na cama. A redução dos níveis de PB e Pd para 17% e 0,34%, respectivamente, em rações com fitase para frangos de corte na fase inicial, melhorou os valores de EMAn e digestibilidade da matéria seca. Assim, é possível reduzir a excreção de nitrogênio, fósforo, cobre e zinco. O uso de aminoácidos sintéticos e fitase na ração de frangos de corte, na fase de 22 a 42 dias permitiu reduzir os níveis de proteína bruta, fósforo disponível e cálcio para 14,0%; 0,30% e 0,70%, sem afetar o desempenho das aves. O uso destes níveis nas rações, suplementadas com aminoácidos sintéticos e fitase, reduziu, os teores de fósforo na cama em média, 33,92% e de zinco em 14,81%. A redução dos teores de proteína bruta e fósforo disponível melhorou os valores de energia metabolizável aparente corrigida, digestibilidade da matéria seca e reduziu a excreção de nitrogênio, fósforo e zinco, quando associada à suplementação com fitase.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/3898
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.