Use este identificador para citar ou linkar para este item: repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4326
Título: Redução dos níveis de proteína bruta, cálcio e fósforo em rações com fitase e aminoácidos para frangos de corte
Título(s) alternativo(s): Reduction of the crude protein, calcium and phosphorus levels in diets with phytase and amino acids for broiler chickens
Autor : Gomide, Elisangela Minati
Primeiro orientador: Rodrigues, Paulo Borges
metadata.teses.dc.contributor.advisor-co: Freitas, Rilke Tadeu Fonseca de
Primeiro membro da banca: Fassani, Édison José
Pereira, Renata Apocalypse Nogueira
Silva, Yolanda Lopes da
Área de concentração: Nutrição de Monogástricos
Palavras-chave: Proteínas - Metabolismo
Fitase
Nutriente
Níveis de protína bruta
Características de carcaça
Crude protein levels
Carcass chacteristics
Nutrients balance
Data da publicação: 3-Out-2014
Referência: GOMIDE, E. M. Redução dos níveis de proteína bruta, cálcio e fósforo em rações com fitase e aminoácidos para frangos de corte. 2010. 118 p. Tese (Doutorado em Zootecnia)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2010.
Resumo: Foram conduzidos 5 experimentos de desempenho e 5 de metabolismo foram para avaliar o efeito de rações com níveis reduzidos de proteína bruta (PB), cálcio (Ca) e fósforo disponível (Pdisp), suplementadas com fitase e aminoácidos sobre o desempenho, balanço e retenção de nutrientes de frangos de corte, em diferentes fases. Em todos os experimentos, o delineamento experimental foi o inteiramente casualizado. No primeiro experimento (1 a 7 dias de idade) utilizaram-se 3 tratamentos com 6 repetições de 30 e 5 aves, por unidade experimental, no ensaio de desempenho e metabolismo, respectivamente. Os tratamentos foram: T1- ração com 22% PB sem fitase (controle), formuladas com os níveis nutricionais recomendados nas tabelas brasileiras; T2- ração com 22% PB com fitase; T3- ração com 20% PB com fitase. No segundo experimento (8 a 21 dias de idade), utilizaram-se cinco tratamentos com 6 repetições de 30 e 5 aves por unidade experimental no ensaio de desempenho e metabolismo, respectivamente. Os tratamentos foram constituídos de 5 diferentes rações, sendo: T1- ração com 21% PB sem fitase (controle); T2- ração com 21% PB com fitase; T3- ração com 20% PB com fitase; T4- ração com 19% PB com fitase e T5- ração com 18% PB com fitase. No terceiro experimento (8 a 35 dias de idade) utilizaram-se 5 tratamentos com 6 repetições de 25 e 3 aves, por unidade experimental, no ensaio de desempenho e metabolismo, respectivamente. Os tratamentos foram: T1- ração com 20% PB sem fitase (controle); T2- ração com 20% PB com fitase; T3- ração com 19% PB com fitase; T4- ração com 18% PB com fitase e T5- ração com 17% PB com fitase. No quarto experimento (22 a 35 dias de idade) utilizaram-se 5 tratamentos com 6 repetições de 25 e 3 aves, por unidade experimental, no ensaio de desempenho e metabolismo, respectivamente. Os tratamentos foram: T1- ração com 19% PB sem fitase (controle); T2- ração com 19% PB com fitase; T3- ração com 18% PB com fitase; T4- ração com 17% PB com fitase e T5- ração com 16% PB com fitase. No quinto experimento (36 a 42 dias de idade) utilizaram-se 5 tratamentos com 6 repetições de 25 e 3 aves, por unidade experimental, no ensaio de desempenho e metabolismo, respectivamente. Os tratamentos foram: T1- ração com 18% PB sem fitase (controle), T2- ração com 18% PB com fitase; T3- ração com 17% PB com fitase; T4- ração com 16% PB com fitase e T5- ração com 15% PB com fitase. Em todos os experimentos, as rações com fitase (80g de fitase/tonelada de ração - Ronozyme NP-(M)) foram formuladas com níveis reduzidos de Pdisp em 0,15 e de Ca em 0,30 ponto porcentual, em relação à ração controle. Em todas as fases estudadas, não houve efeito (P>0,05) da redução do nível de PB, Ca e Pdisp das rações sobre o consumo de ração, ganho de peso e conversão alimentar dos frangos. Na fase de 1 a 7 dias de idade, não houve diferença P(>0,05) entre os tratamentos para os valores de energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio (EMAn). No entanto, a ração com redução de PB em 2 pontos percentuais apresentou maior coeficiente de metabolizabilidade da matéria seca (CMMS). Houve redução de N, P e Ca nas excretas, quando as aves receberam ração com níveis reduzidos desses nutrientes. Na fase de 8 a 21 dias de idade, as rações com níveis reduzidos de PB apresentaram maiores valores de EMAn e CMMS. A excreção de N, Ca e P foi menor quando as aves receberam ração com níveis reduzidos desses nutrientes. Na fase e 8 a 35 dias de idade, não houve diferença P(>0,05) entre os tratamentos para os valores de EMAn e CMMS. Houve redução de N, P e Ca nas excretas, quando as aves receberam ração com níveis reduzidos desses nutrientes. Não houve diferença no rendimento de carcaça, peito e coxa + sobrecoxa. No entanto, houve aumento na porcentagem de gordura abdominal quando as aves consumiram a ração com o menor nível protéico. Na fase de 22 a 35 dias de idade, as rações com níveis reduzidos de PB apresentaram maiores valores de EMAn e CMMS. A excreção de N, Ca e P foi menor quando as aves receberam rações com níveis reduzidos desses nutrientes. Não houve diferença no rendimento de carcaça, peito e coxa + sobrecoxa. No entanto, houve aumento na porcentagem de gordura abdominal quando as aves consumiram a ração com o menor nível protéico. Na fase de 36 a 42 dias de idade, não houve diferença P(>0,05) entre os tratamentos para os valores de EMAn. No entanto, rações com redução de PB em 2 e 3 pontos porcentuais apresentaram maior CMMS. Houve redução de N, P e Ca nas excretas, quando as aves receberam ração com níveis reduzidos desses nutrientes. Não houve diferença no rendimento de carcaça e cortes nobres, observando-se aumento na porcentagem de gordura abdominal quando as aves consumiram as rações com menores níveis protéicos. A porcentagem de cinzas na tíbia das aves, em todas fases avaliadas, não diferiu entre os tratamentos. Conclui-se que a redução de Pdisp em 0,15 e de Ca em 0,30 ponto porcentual, em todas a fases de criação dos frangos, e a redução de 2 pontos percentuais no teor de PB, na fase de 1 a 7 dias de idade e de 3 pontos percentuais nas demais fases estudadas, com a suplementação adequada de aminoácidos sintéticos e fitase, propicia diminuição na excreção de N, Ca e P, sem prejudicar o desempenho, características de carcaça e porcentagem de cinzas na tíbia dos frangos de corte. Contudo, as rações com baixos teores de proteína resultam em aumento na gordura abdominal.
In this study 5 performance and 5 metabolism assays were carried out to evaluate the effect of diets with reduced levels of crude protein (CP), calcium (Ca) and available phosphorus (aP), supplemented with phytase and amino acids on the performance, balance and nutrients retention in broiler chickens in different phases. In all trials, the experimental design was completely randommized. In the first trial (from 1 to 7 days) 3 treatments were used with 6 replicates of 30 to 5 birds per experimental unit in the performance and metabolism assay, respectively. The treatments were: T1- diet with 22% CP without phytase (control), formulated with the recommended nutritional levels in the Brazilian tables; T2- diet with 22% CP with phytase and T3- diet with 20% CP with phytase. In the second trial (from 8 to 21 days of age), five treatments with 6 replicates of 30 and 5 birds per experimental unit in the assay of performance and metabolism, respectively, were used. The treatments were: T1- diet with 21% CP without phytase (control); T2- diet with 21% CP with phytase; T3- diet with 20% with phytase; T4- diet with 19% CP with phytase and T5-diet with 18 CP with phytase. In the third trial (from 8 to 35 days) 5 treatments were used with 6 replicates of 25 and 3 birds per experimental units in the performance and metabolism assay, respectively. The treatments were: T1- diet with 20% CP without phytase (control); T2- diet with 20% CP with phytase; T3- diet with 19% CP with phytase; T4- diet with 18% CP with phytase and T5- diet with 17% CP with phytase. In the fourth trial (from 22 to 35 days) 5 treatments with 6 replicates of 25 and 3 birds per experimental unit in the performance and metabolism assay, respectively, were used. The treatments were: T1- diet with 19% CP without phytase (control); T2- diet with 19% CP with phytase; T3- diet with 18% CP with phytase; T4- diet with 17% CP with phytase and T5- diet with 16% CP with phytase. In the fifth trial (from 36 to 42 days) 5 treatments were used with 6 replicates of 25 and 3 birds per experimental unit in the assay of performance and metabolism, respectively. The treatments were: T1- diet with 18% CP without phytase (control); T2- diet with 18% CP with phytase; T3- diet with 17% CP with phytase; T4- diet with 16% CP with phytase and T5- diet with 15% CP with phytase. In all trials the diets with phytase (80g of phytase/ton of diet - Ronozyme (NP-(M) ) were formulated with reduced levels of aP in 0.15 and of Ca in 0.30 porcentual point related to the diet control. In all studied phases, no effect (P>0.05) in the reduction of the level of CP, Ca and aP of the diets on the diet intake, weight gain and feed conversion of the chickens were observed. In the 1 to 7 days phase, there was no difference (P>0.05) between the treatments for the values of corrected apparent metabolizable energy by the balance of nitrogen (AMEn). However, the diet with reduction of CP in 2 porcentual points presented higher coefficient of metabolization in the dry matter (DMMC). There was reduction of N, P and Ca in the excreta when the birds received diets with reduced levels of these nutrients. In the phase from 8 to 21 days, the diets with reduced levels of CP presented higher values of AMEn and DMMC. The excretion of N, Ca and P was lower when the birds received diets with reduced levels of these nutrients. In the 8 to 35 days phase there was no difference (P>0.05) between the treatments for the values of AMEn and DMMC. There was reduction of N, P and Ca in the excretions when the birds received diets with reduced of these nutrients. There was no difference in the carcass, breast and thigh + drumstick yield. However, there was increase in the porcentage of abdominal fat when the birds fed the diet with lower protein level. In the 22 to 35 days phase, the diets with reduced levels of CP presented higher values of AMEn and DMMC. The N, Ca and P excretion was lower when the birds received diets with reduced levels of these nutrients. There was no difference in the carcass, breast and thigh + drumstick yield. However, there was increase in the porcentage of abdominal fat when the birds fed the diet with lower protein level. In the 36 to 42 days phase, there was no difference (P>0.05) between the treatments for the values of AMEn. However, diets with reduction of CP in 2 and 3 porcentual points presented higher DMMC. There was reduction of N, P and Ca in the excreta when the birds received diet with reduced levels of these nutrients. There was no difference in the carcass yield and noble cuts, considering that there was increase in the abdominal fat porcentage when the birds fed the diets with lower protein levels. The ashes porcentage in the tibia of the birds, in all phases evaluated no shown differences between the treatments. It was concluded that the reduction of aP in 0.15 and of Ca in 0.30 porcentual point in all phases of the rearing and the reduction of 2 porcentual points in the CP level, in the phase of 1 to 7 days, and 3 porcentual points in the other phases, with the appropriate supplementation of amino acids and phytase, provides decrease in the excretion of N, Ca and P, without damage the performance, carcass traits and ash porcentage in the tibia of the broilers. Nevertheless, the diets with low protein levels result in increase of the abdominal fat.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4326
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DZO - Zootecnia - Doutorado (Teses)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.