Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4598
Título: Ação antioxidante in vitro e in vivo da Camellia sinensis nas formas de chá verde, chá preto e chá branco
Autor : Guimarães, Raquel Diegues
Primeiro orientador: Cardoso, Maria das Graças
Primeiro membro da banca: Sbampato, Cristiane Gattini
Sousa, Raimundo Vicente de
Área de concentração: Ciência dos Alimentos
Palavras-chave: Edulcorantes
Infusões
Antioxidante
Lipoperoxidação
Data da publicação: 6-Nov-2014
Referência: GUIMARÃES, R. D. Ação antioxidante in vitro da Camellia sinensis nas formas de chá verde, chá preto e chá branco. 2011. 78 p. Dissertação (Mestrado em Ciência dos Alimentos)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.
Resumo: Neste trabalho objetiva-se avaliar a ação antioxidante (AA) da Camellia sinensis in vivo e in vitro, traçando uma comparação entre três formas de processamento da planta: os chás-branco (CB), verde (CV) e preto (CP). As bebidas para os ensaios foram preparadas empregando-se a metodologia de infusões. Para os ensaios in vitro, empregou-se o método de sequestro de radicais livres – DPPH e o sistema -caroteno / ácido linoleico (BCAL) nos três chás, puros ou adicionados dos açúcares branco (AB) e mascavo (AM), e adoçantes estévia (ST) e à base de sacarina/ ciclamato (Sac/Cicl). Os testes in vivo tiveram como objetivo avaliar a ação dos chás, sem adição de edulcorantes. Para isso, induziu-se injúria hepática em ratos wistar pela administração de tetracloreto de carbono por via intraperitoneal. Os animais foram tratados com os chás, por gavagem, durante sete dias, e após esse período, a extensão da injúria foi aferida por meio da avaliação da peroxidação lipídica nos fígados, e por parâmetros bioquímicos, como dosagem da glicose sérica, GGT, AST e ALT. Foram ainda confeccionadas lâminas para avaliação histopatológica dos fígados. Em todos os testes in vitro, os três chás demonstraram importante ação, e a capacidade de sequestrar radicais livres seguiu a seguinte ordem: CP = CB > CV. Com exceção da ST, a adição de edulcorantes reduziu a ação antioxidantre dos três chás, sendo a redução mais significativa observada ao se adicionar o AM. Na avaliação da atividade antioxidante pelo sistema BCAL, a capacidade de estabilizar o sistema seguiu a ordem: CB>CP>CV. O CB foi o único entre os chás que apresentou redução da AA com adição de edulcorantes. O CV teve sua ação elevada com adição dos edulcorantes, com exceção do AM, que reduziu essa ação; o CP teve elevação da atividade com adição do adoçante Sac/Cicl, e os demais edulcorantes não provocaram nenhuma alteração. Nos ensaios in vivo, os três chás foram capazes de inibir a peroxidação lipídica (P<0,05), quando comparados ao grupo controle. Esta ação hepatoprotetora é confirmada pelos resultados obtidos por meio da dosagem de enzimas hepáticas no sangue e das análises histopatológicas nos fígados dos animais. Dessa forma, os chás provenientes da Camellia sinensis mostraram importante efeito antioxidante e hepatoprotetor.
This study aims to evaluate the antioxidant activity of Camellia sinensis in vivo and in vitro, drawing a comparison between three ways of processing plant: white (CB), green (CV) and black tea (CP). The teas were prepared for testing using the methodology of preparation of infusions. For in vitro tests, it was used the free radical scavenger method - DPPH and -carotene / linoleic acid system (BCAL) to three teas, pure or added of white (AB) and brown sugar (AM), and sweeteners stevia (ST) and saccharin / cyclamate (Sac / Cicl). The in vivo tests were conducted to evaluate the tea action, without added sweeteners. To do so, was induced liver injury in Wistar rats by administration of carbon tetrachloride intraperitoneally. The animals were treated with teas, by gavage for seven days, and after this period, the extent of injury was measured by assessing lipid peroxidation in the livers, and biochemical parameters, such as determination of serum glucose, GGT, AST and ALT. Histopathological evaluation of the livers was also performed. All in vitro tests showed the three teas important action, and the ability of radical scavenging activity following the order: CP = CB > CV. With the exception of stevia, a sweetened reduced the antioxidant action of the three teas, and the most significant reduction was observed when brown sugar was added. In the evaluation of antioxidant activity by the system BCAL, the ability to stabilize the system followed the order: CB> CP> CV. The CB was the only one of the teas that of AA decreased with added sweeteners. The CV had its high action with added sweeteners, except the brown sugar, which reduced this action. Black tea had increased activity with the addiction of the sweetener Sac / Cicl, and other sweeteners did not cause any changes. On in vivo assays, the three teas were able to inhibit lipid peroxidation (p<0.05) when compared to the control group. This hepatoprotective effect was confirmed by the results obtained through the measurement of liver enzymes in blood and histopathological examinations of the livers of animals. Thus, the teas from the Camellia sinensis showed significant antioxidant and hepatoprotective effect.
URI: http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/4598
Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS
Idioma: pt_BR
Aparece nas coleções:DCA - Ciência dos Alimentos - Mestrado (Dissertações)



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.